Berna Reale, a simbiose entre a arte e a perícia criminal: “Não sou de museu, gosto da rua”


:: El Pais em 14/07/2017 12:59 ::

Numa tarde de domingo no mercado Ver-O-Peso, em Belém do Pará, uma mulher montou uma mesa, forrou com uma toalha branca de rendas, despiu-se por completo, deitou-se e colocou carne crua em cima do corpo. Passou a tarde inteira ali, imóvel. Ao redor, urubus, atraídos pela carne, e olhares curiosos. Hoje, esta performance da artista Berna Reale, denominada Quando todos calam, é uma referência quando se fala dos seus trabalhos na arte. Fora dela, Berna é perita criminal da Polícia de Belém, onde vive.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios