Ano novo, vida nova?


:: TM Opinião em 07/01/2018 07:37 ::

Ano novo, vida nova! Não raro esse bordão é retomado, nesta época quando um novo ano começa, como se na esperança de que o velho ano que acaba leve com ele uma vida que não mais se quer repetida. Será mesmo que o simples avanço do ponteiro do relógio, marcando a virada das horas, é também capaz de marcar e mesmo determinar uma mudança de tamanha grandeza na vida de cada um de nós? Ou será que esse é um anseio particular e íntimo de que, magicamente, deixem de existir no novo ano – mais precisamente quando do avanço de segundo do ponteiro do relógio – as condições que nós próprios determinamos para nossas vidas no velho ano?

Se entendermos a vida como um curso em que ao longo de seu decurso buscamos sempre o transcurso de nossas próprias condições e limitações, talvez possamos vislumbrar um percurso mais suave, tranquilo, sem sobressaltos desnecessários e onde nossa bagagem seja tão somente a possível e necessária.

Assim, será possível, como caminhantes nesse curso, que possamos aprender a velha lição que o poeta espanhol Antonio Machado nos deixou anos atrás, mas que segue nova e se pode renovar a cada dia: “Caminhante, são tuas pegadas o caminho e nada mais; caminhante, não há caminho, se faz caminho ao andar. Ao andar se faz caminho e ao voltar a vista atrás se vê a senda que nunca se há de voltar a pisar”.

Se é possível que dediquemos uma atenção – mesmo que fugaz – a essa bela, poetizada, mas muito verdadeira constatação acerca do curso da vida, talvez sejamos capazes de compreender que não há um velho a se descartar, tampouco um novo a se ganhar.

Há um caminho contínuo, real e seguro onde o ontem (velho) determinou o hoje (possível) que está construindo o amanhã (novo). Se assim entendermos o curso da vida, talvez também sejamos capazes de depositar menos expectativas em desejos e promessas pouco realistas de um novo ano e investir mais dedicação, esforço e valor em viver plenamente o caminho e a caminhada. Aprendendo com Cora Coralina que “o que vale na vida não é o ponto de partida e sim a caminhada. Caminhando e semeando, no fim terás o que colher”.

E por certo colheremos sempre anos plenos de vida, de valor, de esperança.

The post Ano novo, vida nova? appeared first on Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios