Cony ou o prazer de conviver, pena que pouco, com um grande ídolo


:: Clóvis Rossi em 08/01/2018 11:13 ::

Só hoje, passado o choque, consigo escrever sobre Carlos Heitor Cony. Não que fôssemos próximos, não. O choque com a sua morte adveio do fato de que nunca consegui me convencer de que era companheiro (primeiro, de uma coluna de cada qual na página 2 desta Folha; depois no Conselho Editorial do jornal). Leia mais (01/08/2018 – 10h50)

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios