Prefeitura relaciona redução da violência em Salvador aos novos blocos sem corda


:: AgBrasil :: Cultura em 10/02/2018 19:41 ::

Pelo terceiro ano consecutivo, a prefeitura de Salvador tem registrado diminuição nos atendimentos da área de saúde ligados ao Carnaval. De 2016 para cá, o número caiu de 1.471 para 1.030 nos primeiros dias da festa. Segundo a prefeitura, o aumento no número de blocos sem corda é um dos motivos para diminuição de ocorrências, pois evita “maiores atritos com a polícia, cordeiros ou foliões, resultando na diminuição dos casos de agressão física”. Além disso, foram implantados portais de revista nas principais entradas para os circuitos da festa.

40144758672_0f234ee46e_b.jpg

Bloco sem cordas desfila no circuito Dodô, entre os bairros de Barra e Ondina, em Salvador.

Foto: Camila Souza/GOVBA

A maioria dos estabelecimentos de saúde da cidade apresentou reduções no quantitativo de atendimentos em relação a 2017. Houve ainda redução nos seguintes tipos de atendimentos: bucomaxilo (30,7%), cirúrgico (15,6%), clínico (13,3%) e ortopédico (11,4%). Não há registro de atendimentos por projetil de arma de fogo, e houve redução do número de agressões físicas em 18,6%.

Entre as medidas para aumentar a segurança está a proibição de comercialização de produtos em vidro em estabelecimentos comerciais localizados nos perímetros dos circuitos oficiais da folia. O comerciante que descumprir pode ter a mercadoria apreendida e ser multado. A ação foi determinada pela prefeitura de Salvador e, desde quinta-feira (8), mais de 700 estabelecimentos já foram notificados sobre a proibição.

Dessa forma, não podem ser vendidas ou distribuídas bebidas em garrafas, copos e recipientes de vidro nas áreas internas e externas dos estabelecimentos comerciais situados na poligonal ou entorno dos locais durante a realização das festas populares, incluindo o carnaval. Segundo a Prefeitura, a ação visa a dar mais segurança à população, já que o vidro pode causar acidentes ou até mesmo ser utilizado como arma branca.

Conscientização

Os foliões do carnaval da capital baiana poderão realizar os testes rápidos para detecção dos vírus HIV, sífilis e hepatites B e C nos dois postos do Projeto Fique Sabendo, instalados na Rua Dias D’Ávila, próximo ao Farol da Barra, e no Multicentro Carlos Gomes, no circuito Osmar (no centro antigo da cidade).

A estratégia do Fique Sabendo visa a incentivar a detecção precoce das doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), para incentivar a quebrar a cadeia de transmissão no carnaval. Os serviços serão oferecidos gratuitamente ao público interessado entre os dias 10 e 13 de fevereiro, sempre das 9h às 21h, na Carlos Gomes, e das 12h às 22h, na Barra. A expectativa é realizar 5 mil testes.

Durante os dias de festa, serão distribuídos cerca de dois milhões preservativos. As camisinhas estarão disponíveis nos 10 módulos situados nos circuitos oficiais, além dos dois postos do Fique Sabendo. A distribuição dos preservativos é gratuita, irrestrita e não há um quantitativo limite a ser retirado por pessoa.

*Com informações da prefeitura de Salvador

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.