As obsessões de Osvaldinho da Cuíca, o embaixador do samba paulistano


:: El Pais em 11/02/2018 14:31 ::

Por trás de toda a paulistice do Osvaldinho da Cuíca – conserva um típico sotaque antigo das ruas de São Paulo, caracterizado por erres bem marcados; habita um sobrado do Cambuci, bairro da gema da cidade; tem um cão bravo e diligente da raça rottweiller que atende pelo nome de Xereta e protege sua garagem –, há um espírito japonês. É que no modo como executa qualquer instrumento de percussão, existe uma obsessão pelo som perfeito, pelo ritmo perfeito, em suma, pela execução sublime, algo bem ao estilo nipônico. E não é exagero. Não à toa, quando esteve no Japão, no começo dos anos 2000, cativou a todos.

É realmente algo meio joão-gilbertiano, para citar outro obsessivo que encanta os habitantes da terra do sol nascente. Osvaldinho, seja no pandeiro, no tamborim ou na cuíca, que lhe empresta o apelido, é reconhecido como um dos maiores sambistas do Brasil.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios