Embalado por ritmos latinos, bloco Bésame Mucho sai no Rio e atrai estrangeiros


:: AgBrasil :: Cultura em 11/02/2018 12:32 ::

1107903-ferfraz_abr_11022018_0249_1.jpg

Rio de Janeiro – Foliões curtem o som de ritmos latinos no bloco Bésame Mucho, que desfila em Santa Teresa (Fernando Frazão/Agência Brasil)

Conhecido como a maior festa popular do mundo, o carnaval brasileiro atrai cada vez mais foliões estrangeiros. Uma das evidência é o bloco Bésame Mucho, organizado por latinos que moram no Rio de Janeiro.

O desfile pelas ruas de Santa Teresa nesta manhã (11) reúne centenas de foliões.

A música que dá nome ao bloco está entre as tocadas: Bésame Mucho, composta pela mexicana Consuelo Velásquez em 1940. Além dela, há sucessos antigos e recentes, como as canções do grupo cubano Buena Vista Social Club e o badalado Despacito, dos porto-riquenhos Luis Fonsi e Daddy Yankee. O desfile também reserva momentos para as marchinhas.

“Tocamos músicas de toda a América Latina, incluindo do Brasil. Tem canções, por exemplo, que vocês acham que são brasileiras, mas são originárias de outros países latino-americanos. Composições das décadas de 1940 ou de 1930, do Peru, de Cuba, do México, que anos depois foram traduzidas para o português”, conta a uruguaia Lorena Granja. Professora em ciência política na Universidade do Estado do Rio de Janeiro (Uerj), ela é porta-estandarte do bloco.

O Bésame Mucho surgiu em 2012 e faz este ano o sexto desfile. Além dos latino-americanos, a banda responsável por comandar a trilha sonora do cortejo também conta com a participação de alguns brasileiros e estrangeiros de fora da América Latina.

Alguns foliões se inspiram na proposta do bloco para produzir suas fantasias. É o caso da publicitária Amanda Medeiros, que representou a artista mexicana Frida Kahlo. “[É] um bloco pequeno que toca músicas boas”, disse a foliã para justificar sua preferência pelo Bésame Mucho.

A professora de espanhol Carolina Fernandes, que também marcou presença, explicou que sua fantasia trazia elementos da cultura espanhola e dos países latinos. Ela aprova as misturas culturais promovidas pelo bloco. “Eu vim pela latinidade, pela mescla de ritmos latinos. Rumba, samba, tudo junto e misturado no Rio.”

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.