Cervejeiros visitam Porto Seco de Juiz de Fora


:: Prefeitura em 08/03/2018 12:49 ::

0803_cervejeiros_porto_seco_1_081042.JPG
Cervejeiros de Juiz de Fora visitaram o Porto Seco da cidade na manhã desta quarta-feira, 7. O encontro, articulado pela Prefeitura de Juiz de Fora (PJF), fez parte do planejamento do grupo de governança do Arranjo Produtivo Local (APL) do setor para 2018, e teve como objetivo apresentar aos empresários o potencial do terminal como alternativa para importação de insumos, visando diminuir o custo de produção da cerveja e aumentar a competitividade local.

Eles foram recebidos pelo gerente-geral da administradora do Porto Seco, a Multiterminais Logística Integrada, Alexandre Rezende, que apresentou a estrutura e serviços do terminal, além das vantagens logísticas e financeiras da utilização do Porto Seco.

O assessor da Secretaria de Desenvolvimento Econômico, Trabalho e Turismo (Sedettur) da PJF, Marcos Henrique Miranda, explicou que, desde o reconhecimento do APL cervejeiro pelo Governo de Minas, em maio de 2017, a Prefeitura, entidades e empresários começaram a articular a organização do setor na cidade: Temos planejamentos para esse ano, sendo a visita técnica ao Porto Seco a primeira ação que estamos desenvolvendo. Outras serão realizadas, com o objetivo de melhorar a qualidade da indústria cervejeira em Juiz de Fora.

Insumos para a produção da cerveja, como o lúpulo, cem por cento importado, e o malte, são adquiridos pelos produtores locais por meio de distribuidores e representantes. Com a importação direta, a redução de custos poderá ser significativa. Sabemos que a visita poderá gerar negócios para a cidade. O dinheiro que ia para fora, na compra desses insumos, poderá ficar no município, gerando ganhos em mão dupla. Também a perspectiva de exportação é um novo horizonte que se abre a partir dessa visita. E esse é o papel do poder público nesse momento: o de incentivar a atividade econômica, apresentando as oportunidades que estão disponíveis, ressaltou Marcos.

O sócio gestor da Cervejaria São Bartolomeu, Alexandre Vaz, acredita que a importação possa ser alternativa viável para o APL da cidade: As possibilidades são muitas, e todas elas parecem ser muito vantajosas, inclusive em compras de equipamentos, barris e garrafas. No caso do malte, por exemplo, conseguiríamos qualidade de produção ainda melhor, pois hoje, para chegar à cidade, ele passa pelo Sul e depois por São Paulo, o que leva tempo.

Os recursos que temos aqui garantirão a aquisição de produtos com preço muito mais acessível. Foi possível perceber que essa logística está ao nosso alcance. Particularmente, não imaginava que tínhamos tantos recursos à nossa disposição. O trabalho que estamos desenvolvendo entre os fabricantes locais está permitindo parcerias que viabilizarão compras coletivas imediatas, praticamente, ressaltou Cristian Nazareno, das cervejarias Profana e Golem.

Além da São Bartolomeu e Profana e Golem, estiveram presentes representantes das cervejarias Barbante e Mirante, além da Associação dos Cervejeiros da Zona da Mata (ACZ) e União dos Cervejeiros da Zona da Mata (Unicerva).

Porto seco

Inaugurado em outubro de 1997, o Porto Seco de Juiz de Fora conta com 130.383m² de área, sendo 11 mil de armazéns cobertos, 116.783 de área de pátio para armazenagem de veículos, contêineres ou carga solta, e 2.600 de área construída com instalações administrativas. Entre os serviços prestados estão a armazenagem na importação e exportação em diversos regimes aduaneiros, planejamento, gerenciamento e execução de logística integrada.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Sedettur, pelo telefone 3690-8341.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios