Dia da Mulher: de uma manifestação maciça na Espanha a corrida na Arábia Saudita


:: El Pais em 08/03/2018 22:39 ::

O feminismo conseguiu nesta quinta-feira tornar global sua luta, apesar de a adesão às mobilizações ter sido desigual. A campanha para denunciar o assédio sexual no trabalho, #MeToo, deu um novo impulso às reivindicações no Dia Internacional da Mulher. A mobilização foi especialmente relevante na Espanha, onde milhões de mulheres aderiram a uma greve geral, em um protesto histórico, sem precedente no país e em todo mundo.

Na América Latina, a Argentina foi, mais uma vez, o país com a maior mobilização. No Brasil, houve protestos em cerca de 50 cidades, com a participação de milhares de mulheres em São Paulo e no Rio de Janeiro, apesar da chuva. Mas o 8 de março rompeu barreiras em lugares insuspeitos como alguns países muçulmanos. Houve manifestações importantes na Turquia e, no Iraque, 300 mulheres correram pelas ruas de Mossul na primeira maratona celebrada na cidade libertada do Estado Islâmico há oito meses. Na Arábia Saudita, um grupo de mulheres saiu correndo pelas ruas, uma das liberdades adquiridas com a política de abertura do novo príncipe herdeiro, Mohamed Bin Salman. Centenas marcharam em Cabul, capital do Afeganistão, algo impensável sob o regime talibã.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios