Fair play financeiro, uma realidade distante do futebol brasileiro


:: El Pais em 13/03/2018 09:54 ::

As mudanças no mecanismo devem ser apresentadas e votadas na próxima reunião do Comitê Executivo da UEFA, em maio. Enquanto isso, no Brasil, os discursos sobre responsabilidade financeira e igualdade de condições nas disputas locais estão longe de se tornar uma realidade. “A CBF não trabalha pelo fortalecimento dos campeonatos. E os clubes só pensam nas próprias vontades. No quesito competitividade, entre outros, ainda estamos muito atrasados”, afirma o ex-presidente do Bahia Marcelo Sant’ana, que tentou em vão, ao longo de três anos de mandato no clube tricolor, unir dirigentes em torno de interesses comuns.

Sem contar com uma liga ou entidade para defender suas reivindicações desde a dissolução do Clube dos 13, em 2011, times brasileiros protagonizam campeonatos marcados pelos dois lados da moeda. Em uma ponta, clubes estruturados e com poderio financeiro, que surfaram na onda da bonança alavancada por privilégios. No outro extremo estão equipes altamente endividadas e as de menor expressão, que só conseguem fazer frente ao primeiro escalão adotando uma política de gastos incompatíveis com seu faturamento.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios