PJF constrói passeio e meio-fio em área que tem história para contar no Bairro Nova Suíssa


:: Prefeitura em 12/04/2018 18:17 ::

1204_passeio_e_meiofio_nova_suissa_172739.jpg
A Rua São Paulo, no Bairro Nova Suíssa, região nordeste da cidade, possui área destinada a ser praça. Entretanto, os moradores optaram por transformar o espaço em jardim com árvores ornamentais, frutíferas e medicinais, a partir de iniciativa de um cidadão apaixonado pela natureza. Agora, para melhorar ainda mais o local, a Secretaria de Obras (SO) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) está construindo passeio e meio-fio, e implantará iluminação.

Com isso, o barro, que era carreado nos dias de chuva para a via pública, não será mais problema. A intervenção foi pedida pela comunidade.

Mas a história começou muito antes dessa obra. Em 2012, José Castório Pereira, o cidadão apaixonado pela natureza, sentia-se incomodado em ver aquela área sendo usada pela própria comunidade para descarte de lixo e entulho. A Prefeitura retirava o material, mas em menos de uma semana estava tudo sujo novamente: Fiz a limpeza do terreno. Era um verdadeiro depósito de lixo e entulho. A Prefeitura levou de cinco a seis caminhões de lixo. Ele pensou que deveria fazer algo para melhorar isso. E fez: plantou árvores. A primeira foi um ipê roxo. Depois um amarelo, rosa, quaresmeira, jequitibá, palmeira imperial e coqueiro, além de árvores frutíferas, como amora, ameixa do Peru, fruta pão, fruta do conde, jaca, acerola, limão, abacate e manga. E plantas medicinais, como babosa, hortelã e losna (mais conhecida como absinto), entre outras muitas espécies.

Comprei algumas mudas, os vizinhos também ajudaram, e plantei muitas árvores, para o terreno ser mais bem cuidado, pois tendo árvores, as pessoas ficam receosas de depositar lixo e entulho. Para me sentir bem, fiz isso tudo e deu certo. E também porque gosto muito da natureza. É a coisa que mais gosto. Os moradores entenderam o trabalho e pararam de depositar lixo, e fui mantendo limpo desde então, conta o todo orgulhoso seu Zé, como é conhecido na comunidade.

A professora Luísa Maura mora há 27 anos em frente a praça. Ela dá aula particular para crianças do bairro na garagem de casa, com o portão aberto e a vista das lindas árvores. É unânime a aceitação da iniciativa do seu Zé, e também de que os moradores não querem que o local se transforme numa praça com bancos e equipamentos. As crianças brincam bastante, pegam frutas. Gostamos do espaço assim, não queremos que vire praça, pois pode trazer maus frequentadores, afirmou Luísa. Seu Zé faz coro: Não queremos a praça, queremos assim. Com o passeio e meio fio vai melhorar cem por cento. Ele acredita que, de forma geral, a comunidade tem que estar envolvida na manutenção das praças e jardins, para dificultar a ação daqueles que querem danificar o espaço: Agradeço aos vizinhos que colaboram para eu ter ânimo de fazer isso e manter. É muito prazeroso.

Texto e foto: Luciana Peralta

* Informações com a assessoria de comunicação da Secretaria de Obras pelo telefone 2104-8776.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios