Necessidade de organização é discussão óbvia no futebol


:: Tostão em 15/04/2018 03:25 ::

A marcação por pressão, para recuperar a bola perto do outro gol e evitar que o adversário troque passes desde o goleiro, tem sido cada dia mais frequente, embora a maioria das equipes que usa essa estratégia, desde o início do jogo, atua em casa e precisa inverter o resultado.

Na primeira partida contra o Manchester City, o Liverpool, em casa, pressionou desde o começo e fez três gols. A Roma, após perder por 4 a 1, sufocou, em casa, o Barcelona, do primeiro ao último minuto, ganhou por 3 a 0 e está nas semifinais.

O Cruzeiro acuou o Atlético-MG e fez dois gols, um no início do primeiro tempo e outro no início do segundo.

A marcação por pressão não deve ser exercida no desespero do fim de um jogo, no ?vamos lá?, como era no passado. Ela precisa ser treinada. Isso não significa que é a única estratégia para inverter o resultado. A Juventus, mesmo fora de casa, ganhou por 3 a 1 do Real Madrid, jogando em sua tática habitual, de alternar a marcação mais à frente com a mais atrás. Leia mais (04/15/2018 – 02h00)

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios