Brasil precisa, sim, dos EUA para conhecer sua história


:: Kennedy Alencar em 15/05/2018 13:40 ::

O Brasil precisa, sim, dos Estados Unidos para conhecer a sua história. O memorando da CIA que revelou que o presidente Ernesto Geisel centralizou o comando de assassinatos na ditadura militar é exemplo disso. Precisamos recorrer aos EUA porque nossos militares dizem que destruíram documentos e que não existem arquivos sobre a ditadura.

A Comissão da Verdade recebeu essa resposta do Alto Comando das Forças
Armadas. Há suspeitas de que arquivos estão escondidos em mãos privadas. Ou seja, roubados do Estado brasileiro.

O pedido do governo brasileiro para que os EUA enviem documentos sobre a ditadura é para inglês ver.

O memorando que veio à tona já é público lá. O país tem normas rígidas e democráticas de abertura de segredos, permitindo que os americanos conheçam a própria história. O Brasil não tem essa cultura, infelizmente. Foi uma luta para acabar com o sigilo eterno que vigorava no país em relação a documentos públicos _mesmo assim, há brechas para estender o prazo de segredo indefinidamente.

No fim de semana, houve gritaria nas redes sociais questionando a veracidade da CIA como fonte do que acontecia na ditadura de 64. Ora, os EUA foram um dos principais agentes do golpe. Estavam bem-informados sobre o que ocorria no Brasil.

Temos historiadores e jornalistas que escreveram livros importantes, alguns recorreram aos poucos arquivos públicos que temos, outros a acervo pessoal surrupiado do poder público. Falta ao Brasil um rigor historiográfico para contar a própria história. Faltam documentos. Falta transparência. Falta um mea culpa da geração que está no comando das Forças Armadas, mas insiste em defender um passado indefensável.

Ouça, a partir dos 10 minutos e 5 segundos, o comentário sobre esse tema feito ontem no “Jornal da CBN – 2ª Edição”:

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios