Projeto de extensão abre concurso para criação de nova logomarca


:: UFJF em 16/05/2018 12:54 ::

casa-de-cultura-630x454.jpg

Atividades do Polo são realizadas na Casa de Cultura e atingem cerca de 300 pessoas (Foto: Caique Cahon)

Está aberto o edital para o concurso que irá eleger a nova logomarca do “Polo Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão Sobre o Processo de Envelhecimento”, projeto de extensão da Faculdade de Serviço Social realizado há 26 anos na Casa de Cultura da UFJF.

Os interessados podem fazer as inscrições e apresentar suas propostas pessoalmente ou por e-mail até o dia 31 de maio. Leia aqui o edital.

Além de eleger a nova marca do projeto, o concurso tem o objetivo de oportunizar a difusão de trabalhos de alunos da UFJF no campo do design, uma vez que a marca escolhida será utilizada em todas as formas da identidade visual, tais como em eventos, folders, cartazes, impressos, papéis timbrados, convites, envelopes, site institucional e em outras aplicações ou mídias definidas pelo Polo.

Podem participar estudantes dos cursos de Comunicação ou Artes e Design da UFJF. Os interessados deverão preencher a ficha de inscrição presente no edital e esclarecer a proposta, relatando os objetivos pretendidos com a logomarca criada. O concurso confere certificado aos três primeiros colocados.

Novo nome
O Programa, anteriormente chamado “Polo de Enriquecimento Cultural Para a Terceira Idade” teve seu nome alterado para “Polo Interdisciplinar de Ensino, Pesquisa e Extensão Sobre o Processo de Envelhecimento” visando atender a uma demanda do Conselho Nacional do Idoso, o qual entende que o termo “terceira idade” não dá conta das diversidades, complexidades e, especialmente, das desigualdades que envolvem o processo de envelhecimento na nossa sociedade.

“Sugerimos a retomada do termo ‘interdisciplinar’, visto que esta é uma das propostas do Programa: produzir ações e conhecimentos interdisciplinares que, a partir da questão do envelhecimento, incidam no terreno mais amplo das práticas culturais e das identidades sociais cada vez mais complexas que caracterizam o mundo contemporâneo”, conta a coordenadora do projeto Estela Saleh. Segundo ela, ao conceber a velhice como processo, é possível envolver diferentes áreas de conhecimento como gênero, raça/etnia, geração, cultura, espaço e território.

300 pessoas atingidas
O Polo é um espaço de ensino, pesquisa e extensão da UFJF que atende atualmente em torno de 300 pessoas. No espaço são realizados cursos, oficinas, debates, dinâmicas de grupo, murais interativos, visitas culturais (museus e pontos turísticos) e outras expressões culturais e corporais.

As atividades são de cunho interdisciplinar, envolvendo, além do Serviço Social, as áreas de Psicologia, Nutrição, Fisioterapia, Enfermagem, Jornalismo, Letras, entre outras. Atuam no Polo docentes da UFJF e de outras instituições da cidade, bem como com bolsistas de extensão, graduandos da UFJF.

O objetivo do projeto é contribuir para a vivência do processo de envelhecimento de uma forma mais consciente. Isso é feito por meio de práticas educativas diferenciadas com a população idosa, baseadas na valorização da experiência, da memória e da reconstrução dos vínculos sociais e familiares. O Polo também visa resgatar a cidadania do idoso, sua saúde e bem estar, seus direitos, sua autonomia, a melhoria das relações inter-geracionais e sua reinserção na sociedade de forma ativa.

O projeto representa, ainda, importante campo para pesquisas científicas na área do envelhecimento e de vivência dentro da formação profissional dos alunos bolsistas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios