Conheça o Volvo XC60, que chega ao Brasil em setembro


:: TM Especiais em 17/05/2018 08:29 ::

Volvo-2.jpgFoto: Eduardo Rocha/Carta Z Notícias

O XC60 mudou completamente de função dentro do line up da Volvo. No modelo de primeira geração, lançado em 2008, era o SUV de entrada de uma fabricante que não andava muito bem financeiramente e ainda precisava se afirmar como marca de luxo. Nessa segunda geração, lançada ano passado, o modelo subiu um degrau: ficou mais luxuoso, encorpou e ganhou tecnologias mais sofisticadas.

Esse movimento foi pensado para abrir espaço para a chegada do pequeno XC40. E mesmo que tenha ficado relativamente mais caro que na primeira geração, o SUV sueco leva boa vantagem neste ponto no embate com os rivais alemães. No Brasil, o XC60 fica entre R$ 239.950 e R$ 279.950.

Em toda a linha, o propulsor é sempre um 2.0 turbo de 254 cv, com 35,7 kgfm de torque, câmbio de oito marchas e tração integral on demand. Ele traz ainda os itens obrigatórios para modelos de luxo, como seis airbag, ar-condicionado digital de duas zonas, revestimento em couro, regulagem elétrica dos bancos, controle eletrônicos de estabilidade e tração, sensores de luminosidade, de chuva e de obstáculos, câmara de ré, alerta de colisão e painel digital.

Mas além dos recursos mais óbvios para um modelo de luxo, o XC60 deixa claro que uma de suas armas de sedução é uma boa relação custo/benefício. Recursos que nos rivais alemães costumam estar disponíveis apenas nas versões mais caras, no XC60 aparecem já na configuração Momentum, a mais barata. Casos do teto solar panorâmico, dos modos de condução configuráveis para alterar a atuação do motor, câmbio e direção, dos faróis em led, do GPS integrado ao sistema multimídia com sistema de som com 10 alto-falantes e 330 W de potência.

Mesmo em relação às versões superiores, Inscription e R-Design, o XC60 de entrada não fica devendo muito. É verdade que em segurança a Momentum perde dois recursos importantes: sensor de ponto cego e alerta de tráfego cruzado na traseira. Deixa de trazer também o painel digital de 12,3 polegadas configurável – tem um de 8 polegadas mais simples -, a chave presencial com memória e controle de cruzeiro adaptativo, além de diversos detalhes estéticos e de acabamento.

De qualquer forma, a estratégia da Volvo em relação ao XC60 está dando certo no Brasil. Aparentemente, a marca achou um atalho para ganhar prestígio e mercado mais rapidamente. Tanto que o SUV teve neste primeiro quadrimestre de 2018 seu melhor desempenho, com 895 unidades — mesmo com a chegada do XC40, que teve 1.300 reservas na pré-venda. Esse número representou um crescimento de quase 40% sobre o último quadrimestre de 2017 e ficou bem acima das vendas obtidas pelos representantes de Audi, Mercedes e BMW no segmento de SUVs médios.

Impressões ao dirigir

Volvo-5.jpgFoto: Eduardo Rocha/Carta Z Notícias

A opção da Volvo para o mercado brasileiro foi manter o XC60 em um padrão alto. A marca só está trazendo os modelos com os motores mais fortes e com um bom nível de equipamentos desde a versão mais barata — no caso, a Momentum. Os 254 cv de potência e o bom torque de 35,7 kgfm, que aparece na plenitude já aos 1.500 rpm, deixam o SUV de quase duas toneladas bem animado. As acelerações e retomadas são do tipo que pressiona o corpo dos ocupantes contra o encosto. Neste caso, a distribuição da tração elimina a reação de torque no volante, mas ainda assim o SUV empina um pouco a frente.

A estabilidade do SUV também é exemplar. Mesmo em velocidades altas, não há a sensação de flutuação que costuma acometer os SUVs de maior porte. Nas curvas, o XC60 se mantém firme, sem muita rolagem de carroceria. A suspensão é ligeiramente rígida, mas filtra bem as irregularidades do piso. Mesmo sendo potente e estável, não é na esportividade que este Volvo fica mais à vontade. O próprio câmbio, com sistema sequencial diretamente na alavanca, desestimula uma direção mais agressiva.

O conforto parece ser mesmo a maior vocação do SUV sueco. Os bancos são macios na medida certa e oferecem ótimo apoio nas laterais e nas costas. O elegante design do interior e o teto panorâmico tornam o ambiente bastante agradável. O silêncio no habitáculo é absoluto. Quando o veículo está parado, por vezes é preciso verificar no conta-giros para ver se o motor está ligado ou não. O ar-condicionado é bem eficiente e a interface com os recursos do carro, através do monitor vertical no console, é bem simples e objetivo.

Ponto a ponto

Volvo-4.jpgFoto: Eduardo Rocha/Carta Z Notícias

Desempenho
O motor 2.0 turbo de 254 cv instalado sob o capô do Volvo empurra o modelo de pouco mais de duas toneladas com grande facilidade. Além de potente, tem um ótimo torque, de 35,7 kgfm, disponível já aos 1.500 giros. O resultado é que, desde a arrancada, o modelo se mostra bem disposto — o que fica evidente no zero a 100 km/h realizado em 6,8 segundos. As retomadas também são bem ágeis, graças ao bom entendimento entre o propulsor e o câmbio de oito velocidades. Nota 9.

Estabilidade
A nova plataforma modular SPA da Volvo, construída com seis tipos de aço diferentes, consegue neutralizar bem os movimentos da carroceria, tanto nas retas quanto e principalmente nas curvas. Mesmo sendo maior e mais equipado que seu antecessor, esta segunda geração manteve o mesmo peso, abaixo de duas toneladas. A boa calibragem da suspensão consegue equacionar bem a relação entre conforto e estabilidade e exige poucas intervenções dos sistemas dinâmicos auxiliares, que entram em ação ao primeiro sinal de desequilíbrio. Nota 9.

Interatividade
Os acionamentos básicos do XC60 estão na localização clássica e o volante multifuncional concentra diversos controles, o que deixa tudo bem à mão do motorista. Já outros recursos são acessados pela peculiar tela vertical no console frontal, que mais parece um tablet, onde estão replicados comandos como telefonia e som e ainda traz controles de ar-condicionado e GPS, entre outros. A configuração Momentum perde três recursos desejáveis, oferecidos nas versões superiores. O primeiro é o painel digital configurável. Fica desguarnecido também de monitor de ponto cego, importante em um modelo com uma coluna traseira tão grande. Por fim, não há paddle shifts para interagir com o câmbio de oito velocidades — ele só está presente na versão top, R-Design. Nota 8.

Consumo
O InMetro avaliou o XC60 T5 Momentum e deu nota A na categoria de SUVs e D no geral. Em números, rodando sempre com gasolina, o XC60 fez 8,5 km/l na cidade e 10,3 km/l na estrada. É até bastante comedido para um modelo com mais de 2 toneladas de peso e 254 cv de potência. Claro que o consumo segue a orientação da pressão exercida no pé direito, mas na prática, sem abusos, é fácil alcançar os números prometidos. Nota 7.

Conforto
Por ser um SUV, tem um conjunto suspensivo que consegue ter robustez suficiente para encarar a acidentada pavimentação brasileira, seja urbana ou rodoviária. E como é um carro de luxo, mantém o nível de conforto sempre alto, tanto na maciez de rodagem quanto na ergonomia. O espaço interno é generoso e quatro passageiros são extremamente bem recebidos — o próprio formato do banco traseiro desestimula a presença de um quinto elemento. Nota 9.

Tecnologia
Esta nova geração do XC60 traz a plataforma modular SPA (Scalable Product Architecture), criada em 2014 e que atende à linha XC90, S90 e V90. O motor também tem projeto recente, de 2013. Está atualizado em relação à conectividade com celulares e toda a interface é feita através de duas telas de TFT, uma de 8 polegadas no painel e outra de 12 polegadas no console. Mesmo sendo a Momentum uma configuração de entrada, ela traz recursos interessantes. Em termos de segurança, segue o padrão dos modelos de luxo e tem ainda frenagem automática em emergências com visão noturna e encosto dos bancos ativo para evitar lesões na coluna. Já recursos mais sofisticados, como controle de cruzeiro adaptativo, sensor para trânsito cruzado e para ponto cego, ficam para as versões mais caras. Nota 9.

Habitabilidade
É um dos pontos altos de qualquer SUV que se preze. Há diversos nichos e porta-objetos no habitáculo que melhoram a usabilidade do XC60, como no console central e nas portas. O interior é amplo e a sensação de espaço é ainda aumentada pelo teto solar panorâmico. A altura do veículo facilita o acesso e a parte de carga é bastante generosa, com 505 litros até a altura da janela. Nota 9.

Acabamento
O interior é cheio de personalidade e elegância, tanto pela composição quanto pelo design tipicamente escandinavo, com linhas limpas e sem exageros. A unidade testada trazia um interior em couro branco com revestimentos espumados escuros, aletas do difusor de ar em black piano com detalhes cromados e apliques de alumínio ao longo do tablier. Arremates e montagens são precisas e todo o conjunto cria um ambiente luxuoso. Nota 9.

Design
O XC60 traz diversos elementos apresentados originalmente no XC90, como o recorte interno dos faróis, formato da grade dianteira e desenho das lanternas, que sobem pela coluna traseira. Mas está longe de ser um XC90 menor. A personalidade dele aparece na silhueta mais fina, na inclinação mais aerodinâmica do capô e na área de vidros elevada e com contorno elegante. O conjunto é bem sofisticado e tem bastante personalidade. Nota 10.

Custo/benefício
A Volvo pede 239.950 pelo XC60 T5 Momentum. Bem razoável diante dos alemães com potência e recursos semelhantes. Uma BMW X3 começa em R$ 310 mil, uma Mercedes GLC 250 Sport 4Matic começa em R$ 300 mil e um Audi Q5 Ambiente começa em R$ 280 mil. Obviamente, o valor atribuído à marca sueca não é o mesmo, mesmo que a Volvo não fique devendo nada em recursos, tecnologia ou estilo. Nota 7.

Total
O Volvo XC60 Momentum somou 86 de 100 pontos possíveis.

Ficha técnica

” data-cycle-speed=”750″ data-cycle-caption=”#gslideshow_captions” data-cycle-caption-template=”” > Volvo-G1.jpg Volvo-G2.jpg Volvo-G3.jpg
<

>

Foto: Eduardo Rocha/Carta Z Notícias

Volvo XC60 T5 Momentum

Motor: Gasolina, dianteiro, transversal, 1.969 cm³, com quatro cilindros em linha, quatro válvulas por cilindro e comando com variação contínua de abertura das válvulas, turbo compressor e intercooler. Acelerador eletrônico e injeção direta de combustível.

Transmissão: Automática de oito marchas à frente e uma a ré. Tração integral. Oferece controle eletrônico de tração.

Direção: Elétrica.

Potência máxima: 254 cv a 5.500 rpm.

Aceleração 0-100 km/h: 6,8 segundos.

Velocidade máxima: 220 km/h.

Torque máximo: 35,7 kgfm a 1.500 rpm.

Diâmetro e curso: 82 mm X 93 mm. Taxa de compressão: 10,8:1.

Suspensão: Dianteira independente do tipo McPherson com barra estabilizadora. Traseira multilink. Oferece controle eletrônico de estabilidade.

Pneus: 235/55 R19.

Freios: Discos ventilados na frente e atrás. ABS com EBD. Assistência de partida em aclives e declives e frenagem automática em caso de emergência com detecção noturna.

Carroceria: Utilitário esportivo compacto em monobloco com quatro portas e cinco lugares. Com 4,69 metros de comprimento, 1,90 m de largura, 1,66 m de altura e 2,87 m de distância entre-eixos. Oferece airbags frontais, laterais e de cortina série.

Peso: 1.926 kg.

Capacidade do porta-malas: 505 litros.

Tanque de combustível: 60 litros.

Produção: Torslanda, Suécia.

Lançamento mundial: Março de 2017.

Lançamento no Brasil: Setembro de 2017.

Preço da versão Momentum: R$ 239.950.

The post Conheça o Volvo XC60, que chega ao Brasil em setembro appeared first on Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios