O Largo do Paissandu e a resistência dos que ficaram


:: El Pais em 17/05/2018 10:19 ::

Quinze dias após o incêndio e desabamento do edifício Wilton Paes de Almeida, no largo do Paissandu, no centro de São Paulo, o entorno da igreja Nossa Senhora do Rosário dos Homens Pretos, a menos de 50 metros de onde ficava o antigo edifício, virou o novo ponto de resistência de moradores sem-teto e pessoas em situação de rua. A tragédia deixou ao menos quatro pessoas mortas: os irmãos gêmeos Wendel e Werner da Silva Saldanha, 10 anos, Ricardo Oliveira Galvão Pinheiro, 38, e Francisco Lemos Dantas, 56.

Estão na lista de desaparecidos: Selma Almeida da Silva, 40, Alexandre de Menezes, 40, Eva Barbosa Lima, 42, e Walmir Sousa Santos, 47, e Gentil Rocha de Sousa, 54. A reportagem da Ponte passou parte da noite de sexta-feira (11/5) e a madrugada de sábado (12/5) no acampamento.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios