UFJF altera forma de preenchimento de vagas ociosas


:: UFJF em 17/05/2018 17:54 ::

16046852567_7cc4e1edb6_k-300x199.jpg

Agora serão levados em conta o IRA e o Enem dos últimos cinco anos para transferência e ingresso de graduado (Foto: Twin Alvarenga/UFJF)

Em reunião realizada nesta quinta-feira, 17, o Conselho Setorial de Graduação (Congrad) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) alterou a forma de preenchimento de vagas ociosas da Instituição.

A principal diferença é que as coordenações dos cursos passam a ter condições de oferecer vagas ociosas para diferentes tipos de ingresso. O interessado em se candidatar para esse tipo de vaga deve estar atento à nova resolução.

De acordo com o pró-reitor adjunto de Graduação, Cassiano Caon Amorim, as mudanças foram pensadas em busca de otimização. “Havia a necessidade de ocupar as vagas ociosas e essas novas regras possibilitam fazê-lo de maneira efetiva, seguindo critérios objetivos.”

Antes, 50% das vagas ociosas eram destinadas aos excedentes e a prioridade de ocupação de outras modalidades. Para flexibilizar a oferta de vagas ociosas de acordo com as peculiaridades de cada curso, o Conselho definiu que a distribuição passa a ser feita pelas coordenações. Os critérios de seleção consideravam o maior aproveitamento de disciplinas no curso pretendido. Agora serão levados em conta o Índice de Rendimento Acadêmico (IRA), para reinscrição e mudança de curso, e o Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) dos últimos cinco anos, para transferência e ingresso de graduado em cursos com mais candidatos que vagas.

Em busca de oferecer vagas específicas para alunos de cursos afins ou para alunos do mesmo curso de outro campus da UFJF, a novidade é a criação de modalidades de ingresso. Podem ser feitas a mudança de curso e a transferência para curso de mesma grande área, conforme definição da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), e mudança de campi para curso de mesma nomenclatura.

A prioridade para candidatos à transferência passa a ser de alunos de instituições públicas nacionais e alunos de baixa renda. Para a reinscrição em curso, fica definido que os alunos reprovados por infrequência ou nota zero em todas as disciplinas de um período letivo não podem tentar reinscrição. Além disso, a nova resolução veda o trancamento de curso e a dilatação do prazo para integralização do aluno reinscrito.

Para convocar os candidatos dos processos mais recentes, considerando o semestre letivo de ingresso, a chamada dos excedentes dos processos originários passa a ser destinada aos excedentes da lista de espera dos processos seletivos correspondentes ao semestre de ingresso previsto no edital de vagas ociosas. Além disso, formas de ingresso para refugiados políticos passam a constar no Regimento Acadêmico da Graduação (RAG).

Outras informações
(32) 2102-3975 – Conselho Setorial de Graduação UFJF

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios