Contas de luz ficam mais caras neste mês


:: TM Economia em 18/05/2018 07:19 ::

cemig.pngPercentual de reajuste proposto pela Aneel é o maior dos últimos dez anos (Foto: Fernando Priamo/Arquivo TM)

Os consumidores mineiros irão pagar mais caro pela conta de luz a partir do dia 28 de maio. Na próxima terça-feira (22), a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) realiza reunião pública para definir o índice de reajuste das tarifas da Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig).

Conforme divulgado pela Tribuna no dia 8 de março, a princípio, o órgão regulador sugeriu aumento médio de 25,87%. O percentual é o maior proposto nos últimos dez anos. Se aprovado, os consumidores residenciais irão pagar 22,73% a mais pela energia elétrica, enquanto aqueles conectados à alta tensão, como indústrias e shopping centers, terão acréscimo de 34,41%.

A principal justificativa para o alto índice de reajuste, conforme a Aneel, é o fato da aplicação coincidir com o ciclo de revisão tarifária da Cemig, processo realizado de quatro em quatro anos com o objetivo de manter o equilíbrio econômico-financeiro dos contratos de concessão. Para estes cálculos são considerados os custos de compra de energia, transmissão, distribuição, encargos setoriais e os componentes financeiros.

Neste sentido, a estiagem e os baixos índices dos reservatórios contribuíram para encarecer as despesas com energia no país. Entre julho e dezembro do ano passado, foi preciso acionar as usinas termoelétricas, sendo que neste último mês, os reservatórios chegaram a marca de 20%, a mais baixa da história.

O aumento nas contas de luz chega no momento em que a Cemig comemora o crescimento de 35,9% neste primeiro trimestre de 2018 em comparação com o mesmo período de 2017. Entre janeiro e março, a empresa obteve lucro líquido de R$ 465 milhões. Procurada pela Tribuna, a assessoria da Companhia informou que não comentaria o assunto.

Idec critica composição de custos

O pesquisador em energia elétrica do Instituto de Defesa do Consumidor (Idec), Clauber Leite, discorda da composição de custos apresentada como justificativa para o aumento das tarifas. “Não se pode jogar tudo na conta das termoelétricas, pois o sistema de cobrança das bandeiras tarifárias foi criado para isso. Os encargos setoriais também são um ponto a ser questionado, pois necessita maior transparência a respeito. O consumidor acaba aceitando uma justificativa cheia de termos técnicos sem ser informado exatamente o que está sendo cobrado.”

O especialista destaca, ainda, que dentro da composição de custos há um percentual referente às perdas da empresa. “O que nós não concordamos, já que este é um risco do negócio. Não deveria incidir na conta do consumidor.” Afirmando que o reajuste proposto pela Aneel é abusivo, Clauber também questiona a qualidade do serviço prestado.

“O índice de 25,87% é fora da realidade, acima de qualquer índice de inflação. O consumidor fica numa posição desfavorável, sendo obrigado a pagar por um serviço que também apresenta falhas”, relata. “O Idec tem analisado o trabalho de todas as concessionárias do país e, no caso da Cemig, verificamos que 40% dos consumidores têm o índice de duração de interrupção individual por unidade consumidora (DIC) acima do permitido.” Segundo ele, o Instituto irá cobrar melhorias da Aneel.

The post Contas de luz ficam mais caras neste mês appeared first on Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios