Comerciantes do Alto dos Passos fecham comércio em protesto por segurança


:: TM Cidade em 13/07/2018 15:07 ::

dom-vicoso-olavo.jpgRua Dom Viçoso concentra diversos bares e restaurantes no Alto dos Passos (Foto: Olavo Prazeres)

Comerciantes do Alto dos Passos, na Zona Sul de Juiz de Fora, vão baixar as portas em protesto às 19h desta sexta-feira (13). A Associação Brasileira de Bares e Restaurantes (Abrasel) da Zona da Mata apoia o movimento e afirma que eles “têm o direito de exigir segurança pública de qualidade para realizarem seus trabalhos”.

O ato deve durar uma hora e acontece dois dias depois de a perturbação do sossego e a violência no bairro, com tumultos, brigas e arrastões, ser debatida em audiência pública na Câmara Municipal. A Abrasel alega que os bares e restaurantes foram “culpabilizados pelos problemas”, causando queda na movimentação do comércio do bairro, “levando a temerem demissões ou até mesmo a falência de toda a região”. A Secretaria de Atividades Urbanas (SAU) promete intensificar a fiscalização neste fim de semana.

“O comércio exige uma postura de combate à violência, bem como todos os moradores da região, pois teme também pela integridade física de seus funcionários e clientes”, diz a Abrasel em nota. A manifestação deverá contar com faixas, cartazes e distribuição de panfletos. O comerciante Álvaro Lamha, proprietário do Estação Grill, é um dos que vão integrar o ato. Segundo ele, o grupo deve começar a se reunir por volta das 18h30. “Citam o bairro como sendo o mais preocupante de Juiz de Fora, e sentimos impacto no movimento. A repercussão afeta outros comércios que não têm a ver. O que precisamos é de segurança. Pagamos uma fortuna de IPTU e cobramos uma atitude do município. Temos que sanar os problemas e punir quem está fazendo a baderna, não culpar todo mundo. Garantimos emprego e turismo, só queremos trabalhar.”

Conforme a presidente da Abrasel, Carla Pires, a ideia do protesto surgiu “para dizer que não somos os culpados e que todos querem é segurança pública”. Para ela, ações conjuntas entre Polícia Militar, Guarda Municipal e Comissariado de Menores são necessárias para inibir “brigas de gangues, vândalos e arruaceiros”. “Estão denegrindo a imagem do bairro e acabando com o movimento. Está sendo muito prejudicial”, diz Carla sobre a polêmica dos últimos dias sobre os constantes tumultos, atos de vandalismo e uso das calçadas como banheiro, que têm tirado o sono dos moradores da região.

Audiência

audiencia-marcelo1.jpgAudiência pública discutiu situação do Alto dos Passos na última quarta (Foto: Marcelo Ribeiro)

Na audiência pública de quarta-feira (11) na Câmara Municipal, foi proposta tolerância zero contra infrações no Alto dos Passos. Todos os participantes defenderam a necessidade da união de esforços para a criação de uma força-tarefa. O secretário de Atividades Urbanas, Eduardo Facio, anunciou que a fiscalização nos cerca de 40 bares e restaurantes do bairro será intensificada a partir deste fim de semana. Do total de estabelecimentos comerciais em funcionamento na área, 20 têm autorização para colocar mesas e cadeiras nas calçadas. O vereador Zé Márcio (PV) solicitou à Prefeitura a suspensão de novas permissões para o uso dos passeios até que sejam encontradas soluções para os problemas enfrentados pelos cerca de 30 mil moradores do Alto dos Passos.

O post Comerciantes do Alto dos Passos fecham comércio em protesto por segurança apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios