Gestantes recebem orientações sobre maternidade e amamentação


:: Prefeitura em 09/08/2018 18:12 ::

0908_pjf_curso_gestante_1_170615.jpg
Em comemoração à Semana Mundial do Aleitamento Materno, que simboliza a luta pelo incentivo à amamentação, o Banco de Leite Humano da Secretaria de Saúde (SS) da Prefeitura de Juiz de Fora (PJF) realizou na tarde de quarta-feira, 8, no auditório da Vigilância em Saúde, curso gratuito para gestantes, com palestras e orientações sobre cuidados com o bebê.

Um dos temas abordados pela coordenadora do Banco de Leite, Bernadete Monteiro Oliveira, foi a importância do leite materno: Ele é o alimento mais importante para as crianças, até seis meses de vida. É dele que elas precisam, exclusivamente, nesse período. Porém, ao receberem seus filhos, muitas mães não sabem como proceder, tanto na hora da amamentação como no discernimento do que a criança precisa.

O curso é ministrado cerca de três vezes ao ano, com objetivo de desmistificar os medos que as mães de primeira viagem sentem, ao descobrirem a maternidade. A estimativa é de que tenha participação de aproximadamente cem mães ao longo de 2018. Para se inscrever, basta solicitar vaga pelo telefone 3690-7436. A médica pediatra do Banco de Leite, Lúcia Elena Gasparetto Bittar, explicou sobre gestação, na visão do pediatra, e falou sobre sentidos do bebê: A criança, quando nasce, precisa se comunicar com os pais, e a forma de ela fazer isso é através do choro. Logo, vai chorar de fome, cansaço e dor, para pedir carinho. Os pais não precisam se desesperar, porque essa é a forma natural da comunicação entre eles.

A médica chama atenção também para procedimentos que podem colocar a saúde da criança em risco, como o caso apresentado por Roberta Patrícia de Oliveira, grávida de quatro meses: Minha avó disse que, para curar o umbigo do bebê, era necessário colocar uma moeda e envolver com gaze por alguns dias. Mas aprendi com a médica que não posso fazer isso, porque pode até infeccionar o umbigo. A forma correta é higienizar o local, com auxílio de gaze, algodão e álcool 70%, três vezes ao dia, para evitar dores e sangramentos.

Amamentação

As futuras mamães também receberam instruções sobre a forma correta de a criança pegar o seio, para evitar feridas. A melhor forma de amamentar é quando a criança abocanha ao máximo a auréola do seio. Se ela segura somente o bico do peito, pode machucar e dificultar a amamentação, explicou a médica. Ela lembrou também que, para a mãe, amamentar ajuda o corpo a voltar ao normal: As mães que amamentam voltam ao peso com mais facilidade e ainda se recuperam mais rápido do pós-operatório.

Colostro

Até os sete primeiros dias, o leite materno sai muito amarelo, o chamado colostro, rico em imunoglubolina (IGA). As mães foram alertadas sobre sua importância e possíveis variações. Considerado a primeira vacina, é ele que dará imunidade ao bebê. Do oitavo ao 15º dia, a mãe produz o leite de transição com cor amarela mais clara, e depois, mais maduro, na coloração mais esbranquiçada. Essa alteração de cor é normal. As vegetarianas podem apresentar leite esverdeado, por causa da sua
alimentação, mas nada o diferencia na qualidade.

Alimentação

Tudo o que a mãe ingere reflete na alimentação da criança. Por isso é tão necessário que elas se alimentem de maneira saudável, pois, a partir dos seis meses, quando o pediatra receitar a comida sólida, a criança não terá dificuldade de aceitar legumes e verduras, por exemplo.

Banco de Leite Humano

Para doar, é necessário que a mãe esteja em perfeitas condições de saúde. Basta ir ao Banco de Leite, na Rua Sebastião, 772, Centro. Quanto mais a mãe amamenta, mais leite ela produz. Doar leite é ato de amor ao próximo, afirmou a coordenadora do Banco, Bernadete Monteiro. Ali são atendidas outras cinco cidades da macrorregião, além de realizados serviços de coleta, ordenha, educação em saúde, contando com laboratório de análises microbiológicas e pasteurização do leite humano. O atendimento é de segunda a sexta-feira, das 7 às 12 horas e das 13 às 17 horas.

Foto: Divulgação

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde pelos telefones 3690-7123/ 7389.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios