Comissão apresenta projeto de coleta seletiva à Direção do campus GV – Notícias UFJF


:: UFJF em 10/08/2018 08:09 ::

img_2957-300x200.jpg

Comissão se reúne e entrega documento à direção-geral. (Foto: Gabriella Ramos)

A Comissão de Coleta Seletiva Solidária (CCSS) do campus da Universidade Federal de Juiz de Fora em Governador Valadares (UFJF-GV) se reuniu na tarde desta quinta-feira, 9, com o diretor-geral do campus, Peterson Andrade.

O objetivo do encontro foi apresentar a versão piloto do projeto de coleta e destinação de resíduos produzidos pela comunidade acadêmica.

Peterson enfatizou o empenho das integrantes da comissão, que representam os dois institutos da UFJF-GV. Segundo ele, o grande desafio é a missão de fazer a diferença no Campus GV e na sociedade, enquanto instituição de ensino. “Temos que começar as ações, incluir projetos de extensão e disciplinas, pois nossos alunos são agentes de transformação. Eles têm a Instituição como excelência e vão levar esse conhecimento consigo”, declarou.

O projeto
O documento é resultado das atividades desenvolvidas pela comissão, que mapeou os locais ocupados pela universidade e analisou os contratos de locação desses imóveis. Além disso, realizou o levantamento dos projetos de extensão sobre coleta seletiva em vigência no campus e dos resíduos gerados pelos diversos setores da instituição.

Nesta fase experimental, o projeto vai atender a áreas específicas e bem delimitadas. A grande vantagem, segundo a professora e presidente da comissão, Fernanda Alcântara, é “prever erros e acertos quanto ao dimensionamento, logística e estrutura necessários à implementação do plano geral para o campus.” Ambientes como corredores e salas de aula não estão contemplados. Posteriormente, após avaliação e adequação, as ações poderão ser estendidas para todas as unidades da UFJF-GV.

A estimativa da comissão é que as atividades previstas na versão piloto sejam concluídas até dezembro do próximo ano e que em abril de 2022 o projeto geral esteja devidamente implementado.

Como vai funcionar a coleta
O projeto apresentado à Direção-Geral prevê a instalação de dois coletores em cada ambiente da universidade – um para resíduos secos, como plástico, papel, latas de alumínio e demais materiais recicláveis, e outro para restos de comida, os chamados resíduos úmidos. Todo esse material será separado, acondicionado, pesado e destinado a uma associação ou cooperativa de catadores.

Outra preocupação diz respeito à destinação de resíduos especiais, como pilhas, baterias, lâmpadas, medicamentos e óleo de cozinha, que precisam ser recolhidos pelo comerciante ou pelo fabricante para que não contaminem o solo e a água. Cada unidade da UFJF-GV, de acordo com o projeto, vai contar com um jogo de coletores para a separação desses materiais.

A comissão
O projeto de extensão Economia Solidária e Coleta Seletiva de Material Reciclável, coordenado por Fernanda Alcântara, motivou a criação da CCSS. Uma das ações desse projeto previa a expedição de ofícios para as instituições públicas federais do município de Governador Valadares e do seu entorno sobre o decreto 5.940, de outubro de 2006, que determina a criação dessas comissões para gerenciar adequadamente os resíduos sólidos produzidos.

Por isso, a equipe reuniu-se com a Direção-Geral do campus em setembro de 2017 e solicitou a criação da comissão. O pedido foi acolhido e em janeiro deste ano a CCSS foi instituída.

A expectativa agora é que todos os pedidos elencados no projeto-piloto sejam atendidos. Isso inclui tanto a compra dos coletores, sacos plásticos, balança de pesagem e contêineres, quanto o aditamento dos contratos vigentes para a inclusão da “cláusula de sustentabilidade.”

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios