Toquinho faz retrospectiva de seus 50 anos de carreira em JF


:: TM Cultura em 11/08/2018 07:52 ::

Toquinho-2.jpgToquinho enfatiza canções de sucesso com vários parceiros em show intimista no Central (Foto: Divulgação)

Uma das maiores referências da Música Popular Brasileira, Toquinho sobe ao palco do Cine-Theatro Central neste sábado, 11, às 21h, para trazer o show comemorativo de seus 50 anos de carreira ao público de Juiz de Fora. O artista fará uma apresentação em formato voz e violão, com participação especial da cantora Camilla Faustino.

Um “toquinho de gente” — apelido carinhoso que recebeu de sua mãe, dona Diva, na infância, no final dos anos 40 — consagrou-se como Toquinho.

Em entrevista por e-mail à Tribuna, o cantor relembra o início de sua trajetória na música, no final da década de 50, tendo como grande mestre o também músico Paulinho Nogueira. “Comecei a estudar violão em 1959. Meu mestre maior foi Paulinho Nogueira. A partir de 1963, ele me levava para participar de shows em clubes e escolas. Na mesma época, o radialista Walter Silva começou a produzir shows no Teatro Paramount, em São Paulo, reunindo artistas iniciantes em suas carreiras, como Tayguara, Ivette, Zimbo Trio, Elis Regina, e eu passei a integrar esse grupo de amadores até então, que depois se tornaram profissionais”, comenta.

A primeira canção? “Lua cheia”. Uma parceria com Chico Buarque, numa mistura romântica em plena ditadura militar. “Foi em 1964. Namorávamos a mesma garota, a Vera. E numa madrugada, entre vinhos e imaginações, fizemos essa canção em homenagem a ela”, conta Toquinho. A música se constitui, em 1967, na primeira de Toquinho gravada em um disco.

Ao longo de sua carreira, Toquinho esteve ao lado, durante 11 anos, de outro grande artista brasileiro, Vinicius de Moraes. Nesse tempo, começou não só uma simples parceria, mas também uma longa amizade. “Vinicius está sempre presente com a gente, mais vivo que nunca, com suas músicas e suas poesias. Convivi com ele dos 22 anos até os 33, numa fase em que o ser humano cristaliza sua personalidade. Foi importante para mim, humanamente, essa convivência, essa troca de experiências. E no lado profissional, aprendi muita coisa, principalmente o mecanismo das palavras com a música. Nem sempre o poeta formal é um bom letrista. Fazer letra é complicado. E com Vinicius, nessa experiência de mais de cem canções, aprendi muito a mexer com as palavras, como procurar uma rima, uma frase mais certa, o som da melodia com a palavra certa.”

Toquinho tem uma história fantástica e rica na música brasileira. Neste sábado, admiradores da MPB vão ter a oportunidade de relembrar e ouvir grandes sucessos dessa história, de perto, no Central. “Aquarela”, “Tarde em Itapuã”, “Que maravilha”, “Samba pra Vinicius” são apenas algumas das composições que mais representam Toquinho. Para o show desta noite, um tempero de simplicidade e aconchego. “Será um show intimista. Faço uma retrospectiva de minha carreira, enfatizando canções de sucesso com vários parceiros. Solos de violão são imprescindíveis, além de alguns casos que o público gosta de ouvir referentes a minha trajetória de mais de 50 anos de música. Em algumas canções, conto com a participação da Camilla Faustino, que valoriza o espetáculo com sua graça, um timbre vocal que se ajusta e completa nossas interpretações”, diz o artista.

Companheira de Toquinho no palco há quase dois anos, Camilla Faustino traz um ar de graciosidade e fluência ao lado do cantor. Nas palavras do artista, ela representa um grupo de novos talentos da música brasileira e que, nesse show, se alinha às características de Toquinho. “Tenho trabalhado ao lado de intérpretes que se ajustam às minhas características musicais apesar do noviciado profissional, e Camila Faustino é um dos exemplos dessas experiências”, afirma.

Parceria que dá certo

Camilla-Faustino.jpgFoto: Divulgação

Camilla e Toquinho se conheceram nos bastidores do “Programa Raul Gil”, em 2016, e, a convite do cantor, desde então seguem com a parceria. “Maurício Mattar estava como jurado de um concurso de música e, já conhecendo o Toquinho de outros tempos, nos apresentou nos bastidores do programa. Posteriormente, Toquinho, após me assistir no YouTube, me ligou convidando para cantar com ele em um show na Colômbia. Essa foi nossa estreia há quase dois anos e desde então seguimos juntos”, conta Camilla.

Naquela época, Camilla, que foi a campeã do quadro “Quem sabe canta” do programa, diz ter recebido o convite como um privilégio. “Aprendo muito dentro e fora dos palcos”. Na noite deste sábado, Toquinho e Camilla trazem para Juiz de Fora uma combinação de experiência com renovação. Ao público, os dois fazem o convite para uma noite especial no Cine-Theatro Central. Um encontro carinhoso para aqueles que, assim como Toquinho, só possuem tempo para serem felizes.

Toquinho
Neste sábado, 11, às 21h, no Cine-Theatro Central

O post Toquinho faz retrospectiva de seus 50 anos de carreira em JF apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios