Tupi decide seu futuro contra o Ypiranga neste sábado


:: TM Esportes em 11/08/2018 07:22 ::

tupi-felipe-couri.jpgSob o olhar atento de Ailton e dos colegas, Marcel cobra falta em treino do Tupi em JF (Foto: Felipe Couri)

Antes mesmo do embarque para Erechim (RS), o volante juiz-forano do Tupi, Marcel, já projetava o jogo com o Ypiranga-RS, às 17h deste sábado (11), no Colosso da Lagoa, pela última rodada da Série C, como “o mais difícil da temporada”.

“É fora de casa e define um rebaixamento. Estudamos eles de todas as formas, como um jogo de xadrez. Temos que estar preparados para os três resultados possíveis durante o jogo. Se estivermos atrás do placar, teremos uma tática para buscar reverter a situação. Ganhando ou empatando também, porque jogamos com o empate, mas claro que não queremos nos prender a esta vantagem, o que é perigoso.”

E não bastasse todo o contexto do confronto, que pode tanto selar a permanência do Tupi na Terceira Divisão nacional com um empate, quanto sacramentar o descenso juiz-forano em caso de derrota para os gaúchos e empate ou vitória do Volta Redonda diante do Joinville no Rio de Janeiro, a preparação carijó foi prejudicada por dois dias em aeroportos paulistas por conta do cancelamento de voos para Chapecó (SC).

Após quase 24 horas no Aeroporto Internacional de São Paulo, em Guarulhos (SP), desde o início da tarde da quinta (9), e logística alterada na sexta para voo do Aeroporto de Congonhas até Porto Alegre (RS), com posterior ida de ônibus a Erechim, o Tupi, sem treinos desde a última quarta, buscou até o adiamento do jogo para domingo junto à CBF, negado.

Toda a trama potencializa a expectativa de 90 minutos dramáticos, com entrega ainda maior dos jogadores, como destacou Marcel com exclusividade à Tribuna nessa sexta. “Se o jogo realmente acontecer, será ainda mais na raça e na superação. Mas estamos focados no nosso objetivo”, destacou, após projetar um duelo de menor porcentagem de bola rolando do que o habitual.
“Será uma batalha, de garra, com mais faltas. É como o Aílton fala: em guerra você entra com sangue nos olhos, lembra dos seus familiares, pensa porque está lutando e para quem, então nosso time vai entrar focado e com esse sangue nos olhos”, garante.

Capitão de um lado, artilheiro do outro
Certo é que, para o último jogo da temporada, o Tupi não contará com o zagueiro e capitão Sidimar, que, após disputar todas as outras partidas do clube na Série C, levou o terceiro cartão amarelo contra o Voltaço e está suspenso. Na sua vaga, Mateus forma dupla com Diogo. A tendência é que o técnico Aílton Ferraz mantenha a base da equipe que venceu os dois últimos embates, com Vilar; Fábio Henrique, Diogo, Mateus e Magalhães; Marcel e Rodrigo Dantas; Diego Luís, Potita e João Willian; Reis.

Do lado gaúcho, contudo, os problemas também existem na escalação. O artilheiro da equipe na Série C, Hélio Paraíba, com cinco gols marcados, além do volante Tarik, também não poderão atuar pelo mesmo motivo que o zagueiro carijó. A provável equipe do Ypiranga tem Rodrigo; Maicon, Claudinho, Saimon e Rennan; Fábio, Faísca, Jean Silva e Rafinha; Paulinho e Jean Deretti.

O post Tupi decide seu futuro contra o Ypiranga neste sábado apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios