A normalização do ódio


:: El Pais em 07/10/2018 11:00 ::

“A fúria se desata sobre quem aparece como indefeso”, diziam Max Horkheimer e Theodor Adorno em Dialética do Esclarecimento. A frase volta à mente de quem viu as terríveis cenas de Chemnitz e como uma multidão cheia de ódio perseguia e agredia pessoas somente por terem sido apontadas como “diferentes”, “estrangeiras” e “estranhas”. A violência sem limite se dirige contra os que estão cada vez mais indefesos porque a sociedade não os reconhece como iguais. Os desfiles de líderes neonazistas, vândalos violentos e representantes políticos do Alternativa para a Alemanha e outros partidos menores de extrema direita e os ataques em mercados ocorreram na Saxônia, mas as conexões e a mobilização superavam os limites regionais.

Não se reduz de forma nenhuma ao leste do país. A comoção é profunda.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios