Penitenciária feminina é inaugurada em Juiz de Fora


:: Diário Regional em 09/10/2018 11:24 ::

Foi inaugurada nessa segunda-feira, 8, às 14 horas, a Penitenciária feminina “Eliane Betti”, no bairro Linhares, zona leste de Juiz de Fora, destinada as mulheres presas. Com capacidade para 180 presas, o anexo foi orçado em cerca de 780 mil. A construção do espaço foi toda financiada por recursos de prestações pecuniárias – valores provenientes de transações penais ou sentenças condenatórias.

A penitenciária foi construída com mão de obra de 24 presos da unidade Edson Cavalieri. Eles desempenharam as funções de pintor, pedreiro e servente. O espaço irá abrigar 160 presidiárias.

Já as celas que eram ocupadas pelas presas na Penitenciária Ariosvaldo Campos Pires serão destinadas a detentos do Ceresp.

IMG-20181009-WA0011-1024x682.jpg

Espaço para as crianças das detentas Foto: Divulgação

Segundo o juiz titular da Vara de Execuções Penais da comarca, Edvaldo Elias Penna Gavazza, foi uma conquista a inauguração da Penitenciária. “Para se ter uma ideia da gravidade da situação em que as presas na comarca se encontram no momento, hoje elas ocupam o pavilhão 4 da Penitenciária Professor Ariosvaldo Campos Pires. São 161 mulheres, em um espaço com capacidade para abrigar apenas 34. Em função da superlotação, não há como fazer divisões de nenhum tipo: presas em regime fechado ou semiaberto, condenadas por diferentes crimes, por exemplo, estão juntas. Se eu disser que a situação ali é desumana, estou abrandando”.

Na avaliação do magistrado, a construção do presídio, anexo à Penitenciária José Edson Cavalieres, é a reparação de um erro histórico. “Daremos a essas mulheres condições dignas para o cumprimento de pena”, declara. O novo espaço terá capacidade para 200 presas, com camas individuais, brinquedoteca para receber os filhos das presas, pátio humanizado, inspirado nos melhores exemplos do gênero no mundo, mesas de alvenaria onde poderão receber as famílias, espaço para atendimento médico, odontológico e psicológico, escola com salas de aula e biblioteca”, finaliza.

*TGMG e redação

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios