Em busca da nota mil: professores e estudantes falam sobre a expectativa com a prova do Enem


:: Diário Regional em 02/11/2018 06:19 ::

No próximo domingo, 4, mais de 5,5 milhões de estudantes de todo o país vão encarar o desafio das provas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem). Dentre tantas matérias cobradas, uma tem sido o principal alvo de estudos e preocupação dos alunos: a redação. Isso porque ela tem grande influência na nota final do concorrente.

Carolina Aparecida da Costa, estudante do 3º ano do ensino médio, está ansiosa com a prova para tentar uma vaga nas universidades. Apesar de não ter se dedicado como gostaria, devido ao cansaço rotineiro de ter que estudar e trabalhar, ela diz que buscou estar atenta sobre os temas que possam cair neste ano.

“Só de escutar “redação” eu já fico apavorada, porque geralmente são cobrados temas sociais e que precisam ter argumentos fundamentados na hora de escrever”, disse.

Assim como Carolina, Ana Heloísa Pena, estudante de 23 anos, que se prepara novamente para o Enem após largar a faculdade de Enfermagem e começar tudo de novo para realizar o seu sonho de cursar medicina, diz que vem se preparando para o exame através do cursinho online e presencial, produzindo uma redação por semana, sempre envolvendo temas mais cotados. Apesar de não ser sua primeira vez, para ela, assim como para muitos alunos, a redação ainda continua sendo a parte mais difícil,“principalmente pelas regras rígidas de correção e pela imprevisibilidade do tema”, destacou Heloísa.

Mas afinal, o que é necessário para conseguir uma nota mil na produção de texto? Pensando nisso, a equipe do Diário Regional conversou com dois professores da língua portuguesa para dar as últimas dicas antes da prova e garantir uma boa pontuação.

Dicas dos especialistas

Primeiramente, é válido lembrar que a banca avalia diversas competências do candidato como a argumentação, o domínio da língua portuguesa, interpretação do enunciado, organização estrutural e outros pontos que podem ser decisivos. Como explica o professor de redação e coordenador da área de português do Colégio Santa Terezinha, Edson Munck,“os dois critérios mínimos para ter um desempenho na redação, e que são as maiores dificuldades apresentadas pelos alunos em geral, são: o domínio da norma culta da linguagem; e a articulação das ideias, que no caso de uma prova como o Enem, existe uma necessidade de articular claramente para sustentar um ponto de vista, com clareza e argumentação coerente”, pontuou.

Outras dificuldades destacadas pela Ana Gabriela Medeiros, professora e coordenadora do cursode redação Aprimorar e especialista na área, é a não observação daquilo que é recorte da frase sugerida como tema principal e a dificuldade da criação do “projeto de texto”, cobrado em um dos itens de avaliação do Enem. “Muitas vezes o aluno tem muita informação e na tentativa de escrever e colocar no papel, ele põe de uma forma muito desorganizada. Então, notamos que falta este domínio do projeto do texto em muitos candidatos”, disse Ana Gabriela.

Entre tantos assuntos possíveis que podem ser tema da redação, a professora Medeiros aposta em assuntos sociais. “Nos últimos anos, estas questões estão sendo levantadas e exploradas. Acredito que é muito mais discutir esses problemas sociais do que trazer um tema muito polêmico”, disse. Entre as apostas, estão: fakenews, Aids, agricultura, sobre os índios, idosos, a população carcerária e o problema da homofobia.

Já para o professor, ele aposta na discussão de leis.“Se olharmos os históricos de temas do Enem, há uma tendência de assuntos para discutirleis. O primeiro que começou com esta discussão foi sobre a Lei seca no Brasil, veio posteriormente caminhos para combater a intolerância religiosa, a persistência sobre a agressão contra a mulher, e no último ano, sobre a educação inclusiva de uma população específica que são os surdos. Então eu chamo a atenção dos meus estudantes para as questões das leis”, afirmou. Entre os temas que ele citou foi: a lei da prática de bullying, dos agrotóxicos e meio ambiente relacionada à sustentabilidade.

Apesar das apostas serem boas, o candidato só poderá ter certeza sobre o que vai ser escrito, no dia 4, na hora da prova. Mas a base e as dicas valem para ajudar na construção de qualquer texto. Outro toque fundamental é que não existe uma sequência certa para fazer as provas, isto vai de acordo com a facilidade de cada um.

“Faltam poucos dias. O que devofazer?”

Nesta reta final, os dois professores entram em consenso sobre os próximos dias: relaxar e não procurar problemas que sejam extremamente desgastantes é o ideal. Aqueles que desejarem revisar algum conteúdo podem fazer, mas nada exagerado que venha confundir mais o candidato.

“A redação é um resultado de uma história. Para que se escreva bem, é fundamental treinar isso por muito tempo, e este treino tem a ver com o domínio da norma padrão, tem a ver em reconhecer os gêneros textuais, os tipos textuais. Nesta reta final, é fundamental que os alunos tenham clareza do que viram, mas também que relaxem para que façam um ótimo trabalho na hora”, destacou o professor Edson Munck.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios