Estudantes da rede municipal participam de atividades lúdicas sobre o combate ao Aedes


:: Prefeitura em 06/11/2018 16:08 ::

0000SS_155538.png
Com a chegada das chuvas, período propício para a proliferação do Aedes aegypti, o Setor de Educação em Saúde do Departamento de Vigilância Epidemiológica e Ambiental (DVEA) da Secretaria de Saúde (SS) intensifica suas ações com o público infantil. Durante todo este mês, a equipe visitará escolas municipais, como parte do Programa Saúde na Escola (PSE), e promoverá atividades especiais no Parque da Lajinha, para reforçar a importância das ações de combate ao vetor.

O projeto leva informações aos estudantes de forma lúdica, para que o aprendizado seja prazeroso. Assim, são realizados o tradicional teatro com fantoche da dengue, exposição de animais peçonhentos, além de palestras sobre as doenças transmitidas pelo Aedes, como dengue, zika, chikungunya e febre amarela urbana, formas de contágio, sintomas, ciclo evolutivo do mosquito e os dez minutos contra a dengue.

De acordo com a supervisora de Educação em Saúde do DVEA, Lívia Passarella Almeida, o objetivo da atividade na escola é fazer com que as crianças aprendam e pratiquem em casa: O Aedes pode ficar adormecido por mais de um ano, mesmo em períodos de seca, mas, a partir do momento que entra em contato com a água, desenvolve-se e dá origem à larva. Se não houver o trabalho de prevenção, entre sete e dez dias, vira o mosquito transmissor dessas doenças.

As primeiras escolas a receber o projeto este mês foram as escolas municipais Nagib Nasser e Maria Júlia dos Santos, dos bairros Industrial e Parque Guarani. Nas próximas semanas, será levado a outras instituições: Professor Paulo Rogério, no Monte Castelo; Quilombo dos Palmares, no Sagrado Coração de Jesus, e União da Betânia, no Granjas Betânia. No Parque da Lajinha, acontecem ações nos dias 14 e 23.

Na manhã desta terça-feira, 6, a blitz educativa da Defesa Civil também contou com o apoio dos agentes, que distribuíram panfletos orientando os juiz-foranos sobre a importância de reservar dez minutos semanais para verificar suas casas e eliminar os criadouros do mosquito.

* Informações com a Assessoria de Comunicação da Secretaria de Saúde pelos telefones 3690-7123/7389.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios