Festival Primeiro Plano movimenta setor cultural em sua 17ª edição


:: Diário Regional em 06/11/2018 19:43 ::

Até o dia 10 de novembro a 17ª edição do Primeiro Plano, Festival de Cinema de Juiz de Fora e Mercocidades, movimentará a cidade com a exibição de 50 curtas-metragens. O festival de cinema, que vem sendo realizado desde 2002, é voltado para novos diretores, além de contemplar filmes produzidos na Zona da Mata Mineira. Este ano, o Primeiro Plano, que teve início na última segunda-feira, 5, acontece em um novo espaço, o Teatro Municipal Paschoal Carlos Magno.

Na edição deste ano, o Primeiro Plano recebeu 300 inscrições entre 10 de julho e 7 de setembro. Deste total, 250 foram inscrições para a categoria ‘Mostra Competitiva Mercocidades’, sendo 23 curtas selecionados.

A categoria ‘Mostra Competitiva Regional’ recebeu 50 inscrições e 27 curtas foram selecionados. Aleques Eiterer, Organizador do Primeiro Plano, conta que a iniciativa para o festival surgiu da necessidade de aproximar o cinema do público e valorizar as produções. “Além de produzir curtas, temos uma imensa dificuldade de exibi-los e então tive essa ideia que além de possibilitar mais uma ‘janela’ de exibição desses trabalhos, colocaríamos as pessoas da cidade que são interessadas em audiovisual e cinema em conato com outros profissionais”, disse. O organizar ainda reforça que o festival é importante por dar abertura para produções que não são exibidos na cidade. “É bem limitado em termos de diversidade. Principalmente agora, a grande maioria dos cinemas são os de shopping que exibem os blockbuster americanos e alguma produção brasileira mais comercial. Os filmes em geral que a gente exibe no festival não chegam em Juiz de Fora em circuito, raramente algum estréia aqui”, comenta Aleques.

divulga%C3%A7%C3%A3o-Wagner-Emerick-usar-essa-02-300x202.jpg

“A primeira noite de exibições do Festival Primeiro Plano 2018. Foto: Wagner Emerick/Divulgação

A categoria ‘Mercocidades’ leva em consideração produções de diretores estreantes do Brasil e todos os países da América do Sul. A ‘Mostra Regional’ tem como público-alvo iniciativas cinematográficas de Juiz de Fora e Zona da Mata de Minas Gerais. De acordo com a organização, o número total de inscrições foi 30% superior ao registrado em 2017.

Entre os concorrentes da Mostra Regional está Pedro Carcereri. Ele trabalha com cinema desde 2009, que junto a Juliano Botti, dirigiu o curta ‘Zezinho – Uma vida feita na guitarra’.

Pedro Carcereri é dono da produtora ‘Old Man Filmes’ e trabalha com cinema desde 2009. ‘Maria Cachoeira’, ‘Cabrito’ e ‘Rosalita’ são algumas de suas produções que já foram exibidas em festivais nacionais e internacionais. Na edição deste ano do Primeiro Plano, Carcereri concorre com curta na categoria ‘Mostra Regional’ com o curta ‘Zezinho – Uma vida feita na guitarra’, produção que também tem Juliano Botti na direção. O filme começou a ser produzido em 2015 e foi finalizada em 2018 faz sua estréia em festivais contando a história de um grande guitarrista de Juiz de Fora, que tocou ao lado de grandes nomes. Pedro conta que participa do Primeiro Plano a cerca de 10 anos. “Talvez essa seja a maior iniciativa de cinema de Juiz de Fora que se mantém em pé durante todos esses anos. Essa é uma coisa raríssima ao falarmos de cultura em um país que tem um projeto de sucateamento de cultura institucionalizado e que vai tomando formas cada vez maiores”, disse. Para aqueles que sonham em se aventurar nas produções cinematográficas, Pedro fala que é preciso “coragem” e “paciência”. “Além disso, para quem está interessado em entrar nessa área é preciso consumir cinema e participar também de festivais”, conclui.

Outra produção que também concorre na mesma categoria é o curta ‘Um dia na vida’. O filme foi produzido por 4 amigas, Lara Nonato, Monique Alves, Thaiz Araujo e Claudia Rafaela, para a disciplina de documentário do curso de Cinema e Audiovisual.

Thaiz, uma das diretoras, explica que a ideia era que o filme fosse algo mais reflexivo e ensaístico. “Nós tivemos a ideia de fazer algo sobre nossa relação com Juiz de Fora porque algumas de nós não moramos aqui e tem toda a questão de vivência e experiência”, explica. A história foi construída e filmada através do olhar de cada uma das amigas registrassem um dia da vida na cidade. Esta é a segunda vez que Thaiz participa do festival concorrendo. Para ela, o Primeiro Plano é um festival fundamental para a cidade por juntar em um só espaço pessoas interessadas por cinema. “É um lugar onde a gente pode discutir os conteúdos dos filmes e a forma como cada um deles foi feita”, disse. Alem da produção ‘Um dia na vida’, Thaiz também concorre com ‘Campo verde, 1994’, um curta-metragem ficcional produzido em parceria com Lara Nonato. Fora da competição, Thaiz aparece ao lado de Lucian Fernandes na produção do curta “A Fita” que será reexibido durante a mostra. Para aqueles que querem entrar nesse meio ela pontua que é preciso “ter força, criatividade e vontade de se expressar”, conclui.

Confira os curtas selecionados:

MOSTRA MERCOCIDADES

A jornada, de Jonathan Ferr
Afronte, de Bruno Victor e Marcus Azevedo
Ana, de Vitória Felipe
Apenas o que você precisa saber sobre mim, de Maria Augusta V. Nunes
Azar, de Gabriel Duarte
Boi, de Lucas Bettim e Renan Carvalho
Bolha, de Mateus Alves
Cachurú, de Johanna Gribaudo e Matías Lebrero
Convite vermelho, de João Victor Almeida
Coração é terra que ninguém vê, de Isabela Vitório
Domingo, de Jazmín Ferreiro
Écharpe noir, de Barbara Fuentes
Entremarés, de Anna Andrade
Eva, de Dana Gómez
Fantasia de índio, de Manuela Andrade
Fofa, de Flora Pappalardo
Inadequada, de Mylla Fox
Inconfissões, de Ana Galizia
La culpa, de Jesús Alves
Lirion, de Camila Macedo
Magalhães, de Lucas Lazarini
Menina seta, de Camila Tarifa
Vigia, de João Victor Borges

MOSTRA REGIONAL

(Des)integração, de Vanessa Cristina do Nascimento de Moraes e Marcia Silva Pereira
A tua presença, de Euler Luz
Banana what?, de Mariana Couto
Campo verde, 1994, de Lara Nonato e Thaiz Araujo
Carmim, de Carol Cauneto
Chuva e breu, de Danilo Pereira
CriseEllen, de Jean Müller
Diferentes jeitos de falar mexerica, de Ana Luiza Fernandes
Entre Les Ponts (Entre Pontes),de Gabriel de Almeida
Era uma vez nos tempos da ditadura, de Monique Rangel e Max Gleiser
Fazer e acreditar: a natureza da magia, de Larissa Portela
Guardativos, de Isabela de Magalhães
Kleos, de Luis Bocchino
Lençol de inverno, de Bruno Rubim
Lugar de quê?, de Karina Orquidia
Marinas, de Raphael Phields
Meu coração tem dono, de Alessandra Brum
Não me sinto mais sozinho, de Ivan Santaella
O bebedouro, de Ariel Andrade
Onde estará João Vinagre?, de Mariana Costa
Parte de mim, de Letícia Tanaka e Verônica Fernandes
Released from love, de Luciano de Azevedo
Se fosse assim será que seria, de Luiza Reis
Um dia na vida, de Lara Nonato, Monique Alves, Thaiz Araujo e Claudia Rafaela
Vida de estradeiro, de Pedro Victor Soares
Volts, de Danilo Pereira e Marcelo Campos
Zezinho – Uma vida feita na guitarra, de Juliano Botti e Pedro Carcereri

As produções vencedoras em suas respectivas categorias receberão um prêmio da organização, sendo estes:

MOSTRA COMPETITIVA REGIONAL – MELHOR FILME JÚRI POPULAR

Prêmio Darcy Ribeiro
Bolsa para um curso livre.

MOSTRA COMPETITIVA REGIONAL – AQUISIÇÃO CINEBRASILTV

R$3.500,00 (três mil e quinhentos reais) por 4 anos de contrato de exibição (2 anos de exclusividade).

MOSTRA COMPETITIVA REGIONAL – MELHOR FILME JÚRI DE DIRETORES DA MOSTRA MERCOCIDADES

Premio Luzes da Cidade Melhor Filme
R$ 1.000,00 (um mil reais) ao melhor filme escolhido por um júri composto por realizadores da Mostra Nacional.

MOSTRA COMPETITIVA MERCOCIDADES – MELHOR FILME JÚRI OFICIAL

Prêmio CiaRio Brasil
R$8.000,00 (oito mil reais) em locação de equipamentos de Iluminação, acessórios
e maquinaria da empresa NAYMAR.

Prêmio Link Digital
01 encode de DCP de curta de até 20 minutos.

Prêmio Yellow Bunker
1 diária de correção de cor.

Prêmio CTAv-SAv
Empréstimo de equipamentos (Câmera SI -2K e acessórios) por 02 semanas
mais serviço de mixagem de 20 horas.

MOSTRA COMPETITIVA MERCOCIDADES – AQUISIÇÃO CINEBRASIL TV

R$5.000,00 (cinco mil reais) por 4 anos de contrato de exibição (2 anos de exclusividade).
Brindes: 365 filmes, Planet Music, Boom Panquecas, Foo Socks, Petit Gastrô e
Chico Rei.

INCENTIVO PRIMEIRO PLANO

R$ 9.000,00 (nove mil reais), valor bruto sobre o qual incidirão o pagamento de todos os impostos devidos, de acordo com a legislação vigente, e serão retidos na fonte, sendo repassado o valor líquido ao contratado, que serão utilizados na produção de um novo curta-metragem, realizado pelos principais responsáveis pelo curta vencedor dessa categoria.

Prêmio CiaRio Brasil
R$8.000,00 (oito mil reais) em locação de equipamentos de Iluminação, acessórios e maquinaria da empresa NAYMAR.

Prêmio Link Digital
01 encode de DCP de curta de até 20 minutos.

Prêmio Yellow Bunker
1 diária de correção de cor.

Prêmio CTAv-SAv
Empréstimo de equipamentos (Câmera SI -2K e acessórios) por 02 semanas ou serviço de mixagem
de 20 horas.

Prêmio Impulso Hub
Apoio em logística.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios