Jornalismo inclusivo é tema de debate – Notícias UFJF


:: UFJF em 09/11/2018 11:23 ::

30855617517_749c75a676_k-630x372.jpg

Semana de Comunicação na Câmara: Gabriel Martins, Márcio Guerra e Aline Avellar (Foto: Alexandre Dornelas)

A comunicação como ferramenta de inclusão foi o tema discutido no painel “Comunicação e igualdade de gênero: por um jornalismo mais inclusivo” na última quinta-feira, dia 8, na Semana de Comunicação Social Professor Doutor Márcio de Oliveira Guerra. O plenário da Câmara dos Vereadores foi o local de debate que contou a com a participação dos integrantes da Diretoria de Imagem Institucional da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF), a jornalista Aline Avellar e o intérprete de Libras Gabriel Martins.

Aline começou o debate falando da importância de políticas públicas que tenham como foco a inserção das minorias na sociedade.

Para ilustrar a dimensão da causa, mostrou dados como a diferença salarial entre homens e mulheres, o número de cidadãos LGBTs mortos em virtude de crimes de intolerância e o preconceito sofrido por pessoas negras no Brasil.

De acordo com a jornalista, a Comunicação tem um papel fundamental na diminuição das desigualdades. Ela destacou o trabalho da UFJF nesse sentido, com conteúdos voltados para diversas plataformas como instrumento de informação e debate, seja na proposição de pautas inclusivas ou na realização de campanhas de conscientização com a participação de todos que constituem a Instituição, como servidores, alunos ou terceirizados. Para ela, é dever dos veículos de comunicação contribuir de forma decisiva para a diminuição do desequilíbrio social. “O combate às desigualdades, sejam elas quais forem, é o papel da Comunicação, seja em assessoria ou nas redações. Um jornalismo inclusivo é aquele que lança um olhar sobre tudo o que está acontecendo na sociedade.”

Libras

Já o intérprete de Libras Gabriel Martins, lamentou que os meios de comunicação não ofereçam espaço aos surdos, pois no jornalismo há um pequeno número de reportagens com interpretação da linguagem de sinais, e que não vê preocupação por parte das emissoras em inserir libras em produtos de entretenimento. Martins é um dos responsáveis pela interpretação da linguagem de sinais em eventos na UFJF, em vídeos postados no site ou no Youtube da Instituição que, atualmente, conta com 134 produções. “Nós, da UFJF, somos pioneiros no Youtube em comparação com outras universidades, principalmente, por se preocupar com uma comunicação totalmente inclusiva dentro da plataforma de vídeos.”

Para ele, a presença de intérpretes é relevante para a comunidade acadêmica e o público externo, pois democratiza o acesso à informação na Universidade. “Nós temos um caminho muito longo ainda pela frente. Trazer à tona esse debate é muito importante para construirmos políticas públicas que visem a melhoria na qualidade de vida dos deficientes auditivos.”

O debate foi mediado pelo diretor de Imagem Institucional da UFJF, Márcio Guerra, que destacou a importância de se discutir o tema: “Nós, da imprensa, temos que lutar pelo respeito à diferença em um momento em a gente verifica a sociedade brasileira necessitando cada vez mais de informação para mover barreiras”.

Último dia

A Semana de Comunicação Social Professor Doutor Márcio de Oliveira Guerra termina nesta sexta-feira, 9, com debate sobre “Comunicação Pública e Cidadania”, com os jornalistas Luiz Felipe Falcão, Ricardo Miranda e Maressa de Souza. O evento também será realizado na Câmara, às 15h.

Outras informações: (32) 3313-4734/ 4941 (Câmara Municipal de Juiz de Fora)

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios