Polícia conclui inquérito de homem que matou companheira e cometeu suicídio


:: TM Cidade em 30/11/2018 20:28 ::

A Polícia Civil, por meio da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, concluiu o inquérito que investigava a morte de Karina Samuel Valle, de 23 anos. Ela foi encontrada com a faca cravada no peito, caída no banheiro da residência onde o casal morava, na Rua Vereador Ignácio Halfeld, em Benfica, na Zona Norte. O feminicídio foi registrado no dia 16 de outubro deste ano, e o principal suspeito do crime era o companheiro da vítima, Rômulo Silva Moreira, 28, que, menos de três horas depois, suicidou-se, sendo atropelado por um trem às margens da Avenida JK.

“Concluímos que é mais um caso típico de feminicídio – quando a mulher é morta por razões da condição do sexo feminino -, já que o suspeito não aceitava o fim do relacionamento.

Ele chegou inclusive a tentar tirar a própria vida, anteriormente, quando ela interrompeu o relacionamento em outra ocasião”, afirmou a titular da Especializada, Ione Barbosa.

Conforme o inquérito, Rômulo mantinha Karina em cárcere privado. Durante as investigações, vizinhos do casal relataram que ela não era vista em público. “Ele mesmo lavava as roupas do casal, para que ela não saísse de casa, já que onde moravam o local para lavar as roupas era coletivo. Muitas vezes, ela ficava trancada na residência, já que ele tinha muito ciúmes”, afirmou a delegada, acrescentando que: “Detectamos que, antes dele cometer o suicídio, ele escreveu na parede o nome do pai do filho de Karina, assim como o nome da irmã dela, que era quem a defendia nos momentos de briga. Depois disso, ele foi até a mãe dele e, em seguida, para a linha férrea onde se jogou.”

LEIA MAIS: Escritos com batom são deixados em banheiro onde jovem foi morta

Em razão da morte de Rômulo, o caso, apesar de concluído pela Polícia Civil para esclarecimento dos fatos, fica encerrado, mas é remetido à Justiça, como explicou a delegada. “Não há o que fazer, uma vez que o principal suspeito se matou e disso não há dúvida, pois a autoria dele ficou bem caracterizada. A mãe dele veio à delegacia e contou que ele tinha ciúme doentio. O depoimento dela foi muito importante, pois nos contou que o filho tinha a mesma conduta abusiva com outras duas mulheres com as quais ele manteve relacionamento”, afirmou Ione, ressaltando que a mãe de Rômulo confirmou que Karina foi agredida e ameaçada muitas vezes ao longo do relacionamento do casal.

O laudo de necropsia apontou que o corpo de Karina apresentava seis lesões perfurocortantes no lado esquerdo do tórax, três lesões cortantes, sendo uma no lado esquerdo do peito, outra na região cervical também no lado esquerdo e mais uma no punho esquerdo. De acordo com informações do boletim de ocorrência registrado pela PM, a própria mãe de Rômulo, 45, foi quem encontrou Karina, após o filho ir até a residência dela, no pavimento superior do local onde residia o casal. No último encontro, ele entregou seu celular à genitora, sob a alegação de que havia feito uma “tragédia”. Em seguida, deu um abraço na mãe, dizendo que iria embora, sem informar o local. O destino final foi a linha férrea, na passagem de nível próximo ao Distrito Industrial.

O post Polícia conclui inquérito de homem que matou companheira e cometeu suicídio apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios