Pism tem 10% de ausentes no segundo dia de provas – Notícias UFJF


:: UFJF em 02/12/2018 18:04 ::

pism-prova-630x421.jpg

Clima de tranquilidade marca o último dia do Exame em Juiz de Fora, Governador Valadares, Muriaé e Volta Redonda (Foto: Twin Alvarenga/UFJF)

O segundo, e último, dia de provas do Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism) 2019 da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) aconteceu neste domingo, 2, e reuniu cerca de 30 mil estudantes das três séries do Ensino Médio, correspondentes aos módulos I, II e III do Pism.

Em Juiz de Fora, mais de 21 mil alunos realizaram o exame em 33 locais diferentes. As provas também foram aplicadas em Governador Valadares, Muriaé e Volta Redonda.

De acordo com dados da Comissão Permanente de Seleção (Copese) da UFJF, o número de candidatos ausentes no segundo dia foi de 3.475, o que equivale a 9,98% dos 34.798 inscritos no total. Desse número, 2.534 não compareceram ao processo em Juiz de Fora. Já em outras cidades nas quais o Pism também foi aplicado, o total de faltas foi de 941. Dessas ausências, 345 foram em Governador Valadares (MG); 346 em Muriaé (MG); e 250 em Volta Redonda (RJ).

Neste domingo, os candidatos realizaram provas com questões dissertativas e de múltipla escolha sobre Literaturas, Biologia, Física e História. O tráfego no campus ficou intenso próximo ao horário da abertura dos portões, mas fluiu normalmente. Não houve correria. Para auxiliar o funcionamento do trânsito, sete agentes da Secretaria Municipal de Transporte e Trânsito (Settra) estiveram em operação na Cidade Alta e 11 na Região Central. Os portões fecharam às 13h.

Adrenalina

harrison-dia-2-pism-300x201.jpg

Harrison Silva, 17, chegou no limite do horário, nos dois dias, e gostou da “adrenalina” (Foto: Twin Alvarenga/UFJF)

sandy-pism-dia-2-300x201.jpg

Sandy Silva, 17 (à esquerda), viajou com um grupo de amigos e achou cansativa a prova de Literatura (Foto: Twin Alvarenga/UFJF)

O juiz-forano Harisson Silva, 17, realizou as provas do Pism III. O estudante chegou no limite do horário em ambos os dias neste ano, principalmente por conta do trânsito. Ele explicou que quando entrou na sala da Faculdade de Engenharia, onde realizou a prova, o fiscal estava começando o procedimento de entrega das provas, mas apesar da correria diz que concluiu as questões de forma tranquila. “Para chegar, fiquei no limite nos dois dias, gostei da adrenalina. Mas acho que fiz bem as questões. Com base nos outros anos, acho que consigo ingressar em Fisioterapia”, relata.

Já um grupo de amigos de Visconde do Rio Branco (MG) viajou por cerca de três horas para fazer as provas do Pism, com a orientação do professor de história da escola. Sandy Silva, 17, e Luis Otávio Rodrigues, 16, dividem as opiniões sobre a dificuldade das questões do Pism II. A estudante achou a prova aberta de literatura cansativa; já o amigo disse que esperava que Física estivesse mais difícil e ficou surpreso com a objetividade das questões. “Literatura foi a mais difícil da prova, muito cansativo para quem chegou aqui às 9h40 e ficou passeando pelo campus. Já nas exatas, o pensamento lógico foi um diferencial, não precisei usar fórmulas”, conta Sandy.

Avaliação
Durante todo o processo, 4.200 pessoas estiveram envolvidas e trabalharam para que as provas fossem aplicadas. Nos dois dias de exame, mais de 520 atendimentos presenciais e telefônicos foram prestados pela Central de Atendimento.pism-atendimento-1-169x300.png

Para a pró-reitora de Graduação, Maria Carmen Simões, a avaliação do processo como um todo é bastante positiva. “Foi um processo grande, com um número expressivo de inscritos, recorde para este ano. O que fica, para nós, é justamente o que sabíamos e alertamos, em diversas entrevistas: o cuidado que os candidatos têm que ter com a forma de chegada nos locais de aplicação de prova, com a devida antecedência.

O diferencial desta edição, segundo a pró-reitora, diz respeito ao atendimento especial, destinado aos candidatos com deficiência. “A cada ano, temos aprimorado mais este trabalho e, desta vez, tivemos uma iniciativa extra, em Juiz de Fora, onde estudiosos e pesquisadores do assunto estiveram trabalhando com os pais e acompanhantes destes candidatos, em palestras e conversas em grupo. Acredito que este foi um aprendizado tanto para essas pessoas quanto para a Universidade”, afirma.

Atendimento especial
Nos dois dias de aplicação das provas, os pais dos 206 alunos com deficiência puderam esclarecer dúvidas, trocar experiências e conhecer os núcleos de assistência da UFJF, por meio de palestras e vivências. A iniciativa buscou aproximar a relação da Universidade com os pais, ouvindo as necessidades particulares, gerando acolhimento e oferecendo as informações essenciais sobre o processo.

Clique na imagem para ver o vídeo:
0.jpg

Eliza Nassif foi uma das mais de 200 estudantes que tiveram atendimento especial nos dois dias de realização do Pism. A candidata ao Pism I tem Porfiria Intermitente Aguda, anomalia que causa exaustão metabólica, trazendo reflexos como cansaço emocional e perda de raciocínio quando a pessoa enfrenta situações de nervosismo ou estresse.

A candidata contou com uma estrutura própria para a realização das provas, como leitor e transcritor para a resolução das questões, além de balão de oxigênio e cama hospitalar. A mãe, Laura Nassif, sentiu-se surpreendida pelo atendimento oferecido a sua filha. “O suporte que a UFJF ofereceu foi muito importante. Fomos muito bem acolhidos. O atendimento foi além do que imaginei, principalmente pela estrutura e pela humanização no trato com as pessoas.”

Gabaritos
Os vestibular.

Notas
Os candidatos ao módulo III poderão ter acesso às notas a partir do dia 8 de janeiro, e o resultado final, após recursos, está previsto para ser divulgado no dia 15. Já os demais módulos devem ter suas notas divulgadas no dia 12 de fevereiro, com resultado previsto para o dia 15.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios