Cerca de 10% dos estudantes faltaram às provas do Pism


:: TM Cidade em 04/12/2018 08:08 ::

pism-marcelo-ribeiro.jpgChuva colaborou para complicar o tráfego no anel viário da UFJF (Foto: Marcelo Ribeiro)

Cerca de 10% de estudantes faltaram aos dois dias de provas do Programa de Ingresso Seletivo Misto (Pism) da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF). De acordo com dados da Comissão Permanente de Seleção (Copese) da instituição, dos 34.798 inscritos, 3.466 estudantes se ausentaram no primeiro dia, enquanto 3.475 no segundo.

Nesta segunda-feira (3), foram abertos, ao todo, 87 pedidos de recursos para as provas dos três módulos. A Copese julgará os requerimentos e divulgará os resultados no prazo de até 72 horas após sua interposição. Os gabaritos das questões objetivas já estão disponíveis no site da Copese. Durante o processo, três candidatos foram eliminados, sendo dois deles por conta de aparelhos eletrônicos e um porque foi pego colando no exame.

O primeiro dia do processo seletivo foi marcado, especialmente, pela dificuldade de acesso aos locais de exame pelos candidatos. A estudante Gabriela Silva Castelo Branco, moradora do município de Santos Dumont, veio realizar a prova do Pism II em Juiz de Fora, na Unipac, em Granjas Bethânia. Por conta do trânsito intenso, a jovem precisou descer do veículo que se encontrava quando faltavam 30 minutos para as 13h, horário de fechamento dos portões, para seguir o trajeto a pé. No caminho, encontrou outros contratempos como falta de passeio, além de haver situações em que precisou, inclusive, retirar o sapato para correr. “Teve um momento que eu comecei a chorar e fiquei mais ofegante, mas continuei correndo. Não aguentava mais, até que vi a fachada da Unipac. Cheguei lá faltando um minuto para 13h. Estava passando mal de tão nervosa, mas tomei água e me recompus para começar a prova”, relata.

Para fazer as provas do Pism III, a estudante Débora Domingues levou uma hora e 20 minutos para ir do Centro ao Instituto de Ciências Exatas (ICE) no Campus da UFJF no sábado (1º). A jovem optou por utilizar transporte por aplicativo, enfrentando engarrafamento principalmente na Avenida Barão do Rio Branco e próximo à Universidade. “O trânsito estava horrível, mas ainda cheguei um pouco adiantada e consegui relaxar antes de começar a prova”, conta. “Você já chega na prova psicologicamente cansada. Por exemplo, eu consegui ir de carro, mas vi muita gente correndo na chuva para conseguir chegar.”

Para o coordenador do 9º ano do Ensino Fundamental e do Ensino Médio do Instituto Vianna Júnior, Álisson Roberto Damiance Silva, este problema tem sido recorrente durante a realização das provas do Pism, principalmente por aumentar a concentração de pessoas no campus. “Talvez uma adequação que seria interessante é alocar os alunos por CEP. Quando o aluno fizer a inscrição, alocá-lo em colégios e locais perto de seu endereço. Outra coisa a ser pensada é aumentar o transporte público e evitar o acesso de veículos particulares ao campus”, sugere. “São pontos a serem discutidos, propostos e estudados pela UFJF junto com a Settra para ver se seriam efetivos.”

Aumento na procura por táxi e serviços por aplicativo

O aumento na procura por serviços de transporte, como táxis e por aplicativos, foi observada no final de semana devido à realização do Pism. De acordo com o presidente da Associação dos Motoristas de Aplicativos de Juiz de Fora (Amoaplic/JF), Júlio César Peixe, foi constatado um acréscimo de cerca de 20% nos dois dias do exame. “Foi uma procura muito boa, tanto para os motoristas, quanto para as empresas. Só que teve engarrafamento no sábado, e onde precisávamos de agentes de trânsito para ajudar, eles não estavam”, queixa-se. “Os passageiros estavam descendo no meio do caminho e correndo a pé entre os carros. Achei muito perigoso, além de mostrar uma falta de responsabilidade da Secretaria de Transporte.”

O serviço de táxi também contou com aumento na procura, mas enfrentou contrariedades por conta da retenção. “Teve muita procura, mas os taxistas tiveram dificuldade de atender todo mundo porque ficaram muito tempo parados no engarrafamento”, explica José Moreira de Paula (Zé Paulo), presidente do Sindicato dos Taxistas. “No sábado, por ter movimento normal da cidade, como do comércio, o trânsito ficou pior. Já no domingo, o trânsito não apresentou tanto problema.”

UFJF não cogita separar dias de prova por módulos

pism-marcelo-ribeiro-transito.jpgTráfego foi intenso na subida da Avenida Itamar Franco (Foto: Marcelo Ribeiro)

Questionada sobre a forma de escolha dos locais de prova, a UFJF informou, por meio de nota, que “ao final do processo de inscrições para os módulos do Pism, a Copese verifica a quantidade de inscritos por módulo e por cidade de aplicação de prova e, com base nessas informações, providencia os locais contando também com instituições parceiras. Em 2018, só em Juiz de Fora, tivemos aproximadamente 24 mil candidatos que foram distribuídos em 33 locais de provas fora da Universidade, além do próprio Campus, Faculdades de Medicina e Fisioterapia e Colégio de Aplicação João XXIII. Esse número de inscritos expõe o contexto de uma dificuldade natural de refinamento de detalhes para atender a solicitações como essa de proximidade.” A instituição explicou, ainda, que as questões relacionadas ao trânsito não são de sua competência e que, ao longo do processo, busca orientar candidatos e familiares “a se programarem para chegar aos locais de prova com antecedência, bem como a utilizarem o transporte público coletivo”. Também interrogada sobre a possibilidade de dividir as provas em dias diferentes para cada módulo, a UFJF informou que “esse assunto não está em pauta atualmente”.

Também por meio de nota, a Settra explicou que já previa o trânsito intenso nas regiões próximas aos locais de prova e, por conta disso, montou um planejamento com operações em regiões mais críticas. “Em alguns pontos, houve proibição de estacionamento, alteração de circulação na tentativa de dar mais fluidez ao tráfego. Os agentes atuam no monitoramento, orientação e direcionamento do trânsito em alguns pontos. No entanto, a chuva e o excesso de veículos contribuíram para lentidão no Campus. Por isso também a pasta sempre reforça o número de ônibus e orienta para que seja feita a utilização do transporte coletivo, o que resultaria em menos carros circulando. A Settra ainda fará reunião para avaliação de como foi o trânsito neste dois dias de prova.”

Transporte coletivo

De acordo com o representante do Consórcio Via JF, Rodrigo Reis, foram disponibilizados todos os ônibus programados pela Settra, mas o serviço também foi prejudicado devido às retenções. “O trânsito estava caótico na cidade inteira, inclusive para transporte por aplicativo estava difícil, já que havia um volume de gente muito grande”, explica. “Nós fomos impactados pelo trânsito de forma acima da média.”

A assessoria da Astransp também observou dificuldades por conta do tráfego intenso e que, em relação à disponibilização de veículos extras, as empresas seguiram determinação da Settra.

Professores comentam processo seletivo

As provas dos três módulos do Pism estavam dentro do conteúdo previsto, de acordo com o coordenador do Vianna Júnior, Álisson Roberto Damiance Silva. “Geralmente os alunos têm mais dificuldade no Pism I, pela maturidade. É o primeiro ano que fazem. Já no Pism II, estão um pouco mais habituados. O conteúdo também ajuda, e a prova é sempre mais dentro de um nível de cobrança que eles conseguem fazer melhor, e isso foi normal.” No módulo I, de acordo com o coordenador, os alunos apresentaram dificuldades, principalmente, nas provas de física e matemática, mas em um nível possível de serem resolvidas. “A prova foi bem elaborada, pode diferenciar o aluno que estudou do que não estudou.”

Já no Pism III, além de física e matemática, de acordo com Álisson, houve uma grande dificuldade também entre os alunos que realizaram a prova de filosofia. De maneira geral, o profissional faz uma boa avaliação do processo seletivo. “O Pism é uma forma de ingresso muito positiva para nossa região. Nós o valorizamos demais, assim como o Enem.”

Complexas para muitos alunos, as provas de matemática foram coerentes com o que o edital do processo seletivo apresentava, de acordo com o professor da disciplina do Instituto Metodista Granbery, Júlio César Amaral dos Santos. “Apesar da prova não ter sido muito complexa, talvez não tenha tido um índice de acerto muito alto nas questões devido à dificuldade natural que os alunos têm com a matemática”, explica. “É uma disciplina que envolve um raciocínio diferente do que o aluno está acostumado a empregar: algumas vezes abstrato, outras vezes analítico.”

Segundo o professor, não houve ambiguidades ou “pegadinhas” nas questões aplicadas. “A ideia é que os alunos que se prepararam corretamente, fizeram os exercícios e trabalharam ao longo do ano fizessem uma prova tranquila nesse final de semana”, afirma. “Em cada prova houve uma ou outra questão em que o aluno precisaria se empenhar um pouco mais para resolver, mas, de maneira geral, as provas estavam bem acessíveis.”

Resultados

As notas do módulo III estarão disponíveis a partir do dia 8 de janeiro, e o resultado final, após recursos, está previsto para ser divulgado no dia 15. Já os candidatos dos outros módulos poderão acessar as notas no dia 12 de fevereiro, com resultado previsto para o dia 15.

O post Cerca de 10% dos estudantes faltaram às provas do Pism apareceu primeiro em Tribuna de Minas.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios