Presidente do River: “O que aconteceu na final da Libertadores deveria ser o 11 de setembro argentino”


:: El Pais em 07/12/2018 17:55 ::

Rodolfo D’Onofrio (Buenos Aires, 71 anos) virou sócio do River Plate no dia em que nasceu, por iniciativa do seu pai, Raúl, que viria a ser interventor da Associação de Futebol Argentina (AFA) em 1971. Ele viu jogar o Real Madrid de Di Stéfano e Puskas no Monumental, e jantou com Santiago Bernabéu. “Alguém à frente do seu tempo, um sujeito que engrandeceu não só o Real como também o futebol espanhol”, diz.

Empresário, chegou à presidência do River em 2013. O clube da faixa diagonal já havia retornado à primeira divisão argentina, mas sua situação financeira continuava na zona do rebaixamento. “A economia era muito, mas muito delicada. Sabíamos, entretanto, que a marca e o clube tinham valor para se recuperar.” Durante sua gestão, o River ganhou nove títulos. Ainda cansado depois de uma viagem de 12 horas, recebe o EL PAÍS para conversar sobre o Superclássico argentino que terá lugar no estádio Santiago Bernabéu.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.

Anúncios