Bombeiros alertam para o risco maior de afogamento durante o verão


:: Diário Regional em 13/01/2019 06:42 ::

A combinação “férias + verão” é perfeita para aproveitar ao máximo as praias, cachoeiras, piscinas e lagos para se refrescar, mas esse também é um período em que os riscos de acidentes crescem consideravelmente.

Uma das principais ocorrências atendidas pelo Corpo de Bombeiros nessa época do ano são os afogamentos. Boa parte desses registros ocorrem como consequência do alto nível de ingestão de bebidas alcoólicas e pela falta de conhecimento em natação. Em Juiz de Fora, entre janeiro e novembro deste ano, o Corpo de Bombeiros registrou 13 casos de afogamentos. O último registro foi feito no mês de novembro, de um adolescente de 16 anos que se afogou no Poço D’antas, no bairro São Benedito, na zona Leste da cidade.

Neste mesmo período analisado no ano de 2017, foram registrados 16 casos de afogamento. No total, durante o ano todo em 2017, foram 19 ocorrências.

De acordo com o tenente do Corpo de Bombeiros, Gilberto José dos Santos, a companhia trabalha focada na prevenção desses acidentes, buscando informar a população sobre os cuidados que devem ser tomados. “Não existe as pessoas não frequentarem as piscinas ou cachoeiras, então a gente tenta levar informação a essas pessoas, como não fazer uso de bebida alcoólica, conhecer a área onde está mergulhando, nunca deixar as crianças sozinhas. Realizamos um trabalho de educação para que a população entenda que a água oferece riscos”, disse. O tenente ainda explica que ao perceber que alguém está se afogando, a pessoa que for realizar o salvamento deve utilizar de uma corda, boia ou até a tampa de uma caixa de isopor para auxiliar durante a ação. “Utilizar algum material que vá ajudar a pessoa a boiar e ser retirada da água”, disse. Ele reforça que é preciso treinamento para realizar o salvamento de uma vítima de afogamento.

O Corpo de Bombeiros Militar de Minas Gerais divulgou uma cartilha com algumas dicas preventivas:

Ao ver uma pessoa se afogando:

  • Não entre na água para tentar salvar outra pessoa! Você pode se transformar em mais uma vítima.
  • Sem se aproximar da vítima, tente lançar um galho, uma boia, uma corda ou outro objeto para que ela flutue e possa ser puxada até um local seguro.
  • Após a retirada mantenha a pessoa aquecida, sentada se estiver consciente, ou deitada lateralmente se inconsciente, até a chegada dos bombeiros.

Escolha do local para nadar:

  • Procure sempre local onde exista a presença de guarda-vidas ou do Corpo de Bombeiros Militar.
  • Procure um local seguro e apropriado para seu lazer.
  • Não entre em águas poluídas ou em locais onde há aviso de perigo.
  • Fique atento e respeite as placas e faixas de advertência.

Algumas mudanças de comportamento podem evitar acidentes:

  • Nunca nade sozinho.
  • Se ingerir bebida alcoólica não entre na água.
  • Permaneça próximo à margem.
  • Nunca salte de locais elevados para dentro da água.
  • Não faça brincadeiras de mau gosto (caldos, trotes, saltos).
  • Obedeça as orientações dos bombeiros ou dos salva-vidas.
  • Evite fazer refeições pesadas antes de entrar na água.
  • Pais ou responsáveis: não deixem as crianças sozinhas.
  • Evite permanecer próximo de onde haja embarcações.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.