Resgate de menino em poço na Espanha prossegue com engenharia humanitária


:: El Pais em 23/01/2019 16:06 ::

Na segunda-feira, 14 de janeiro, ao comprovar que seria impossível absorver a terra que impedia a passagem no poço onde o menino Julen caíra na véspera, um membro da Guarda Civil espanhola entrou em contato com o Colégio de Engenheiros de Estradas, Canais e Portos, um órgão que reúne profissionais dessa categoria. Emergiu então a figura de Ángel García Vidal, diretor regional do Colégio em Málaga (sul da Espanha), que após inspecionar o buraco de Totalán, verificando que seria impossível levar máquinas pesadas ao local, e que se tratava de um terreno complexo, sem estudo geológico prévio, fez a declaração que marca a ainda inacabada operação para tentar salvar o garoto: “Isto não é uma operação de resgate, e sim uma obra de engenharia civil humanitária”.

Seguir leyendo.

Clique aqui para ver esta matéria na fonte original.