Marcio Sotelo: A única coisa certa que Temer fez a presidenta do STF derrubou


:: Viomundo em 29/12/2017 19:34 ::

temer-1-1.jpg

por Marcio Sotelo Felippe*, no Facebook

A única coisa certa que Michel Temer fez, o decreto de indulto, foi derrubado pela sra. Presidenta do STF.

A justificativa de que prejudicava a Lava Jato (oh! Imagina uma coisa dessas…) é falácia.
Continuar lendo

Anúncios

Manifesto contra perseguição a Lula chega a 90 mil assinaturas e ganha apoios internacionais


:: Viomundo em 29/12/2017 02:49 ::

lulageralapoio.jpg

Da esquerda para a direita, a partir do topo: senadora e ex-presidenta da Argentina, Cristina Kirchner, prêmio Nobel da Paz Adolfo Esquivel, sociólogo português Boaventura de Sousa Santos, o linguista e filósofo norte-americano Noam Chomsky, professor James Green (Universidade Brown, EUA), a escritora portuguesa e presidenta da Fundação José Saramago Pilar del Rio, historiador inglês Peter Burke, jurista Roberto Tardelli, professor Aaron Schneider (Universidade de Denver, EUA), ex-procurador Eugênio Aragão, Chico Buaraue, Gregório Duvivier, Chico Dias e Sílvia Buarque de Holanda, Beth Carvalho, Sílio Tendler e Soraya Ravenle

Manifesto contra perseguição a Lula chega a 80 mil assinaturas (veja PS do Viomundo)

Projeto Brasil Nação

O manifesto “Eleição sem Lula é Fraude”, lançado por intelectuais na semana passada, alcançou 80 mil adesões (veja PS do Viomundo) nesta quarta-feira (27/12).

O documento denuncia a perseguição ao presidente Lula, defende eleições livres e a democracia no Brasil.
Continuar lendo

Rillo desmascara a “economia” de Alckmin: HU destruído, universidades estaduais sem 13º, salas de aula fechadas, servidores sem reajuste há 3 anos


:: Viomundo em 28/12/2017 23:39 ::

alckimfarsa.jpg

A FARSA DA “ECONOMIA” DE ALCKMIN

João Paulo Rillo*, no Facebook

Vejam como são as coisas. O governador de São Paulo convocou a imprensa em uma entrevista festiva, que rendeu longas e acríticas reportagens, para dizer que, ao longo de 3 anos, seu governo atingiu a façanha de economizar, ao todo, 997 milhões de reais.

O fato foi alardeado como grande conquista, supostamente atingida por meio de um comportamento austero com o dinheiro público.

Numa evidente ação de marketing eleitoral, Alckmin se apresentou como um governante zeloso de seu povo, e apelou para a frase da ex-primeira-ministra britânica Margareth Thatcher: “Não há dinheiro público, há dinheiro das famílias”.

Um verdadeiro espetáculo de escárnio.

Para começar, o Orçamento paulista supera os 200 bilhões por ano, ou seja, mais de 600 bi entre 2015 e 2017, período apresentado por Alckmin aos jornalistas.

Portanto, a grande festa está se dando por conta de uma (suposta) economia de 0,16%.
Continuar lendo

Bebel: Como pode o PGE comemorar uma vitória de Pirro contra os professores paulistas, há 3 anos sem reajus te?


:: Viomundo em 28/12/2017 11:49 ::

bebel-geral.jpgA vitória de Pirro da PGE

por Maria Izabel Azevedo Noronha – Bebel, via whatsapp

A Procuradoria Geral do Estado (PGE), chefiada pelo senhor Elival Santos, publicou nota qualificando de “importante vitória” a decisão do Diretor da Sessão de Direito Público do Tribunal de Justiça de São Paulo, Desembargador Ricardo Henry Marques Dip, cujo mandato se encerra no próximo dia 31 de dezembro, deferindo um recurso extraordinário do Governo Estadual que suspende a execução da sentença de 2a.

Instância obtida pela APEOESP em ação coletiva para pagamento do reajuste de 10,15% para equiparação do salário base do magistério estadual ao piso salarial profissional nacional.

Não foi uma vitória.
Continuar lendo

Izaías Almada: Um país acovardado não tem como desejar a si mesmo um feliz ano novo


:: Viomundo em 27/12/2017 21:44 ::

bandeira-brasil-ilustracao-2d1-thumb-800x551-154465.jpg

FELIZ ANO NOVO!…COMO?!…

por Izaías Almada, especial para o Viomundo

Dando o devido desconto à repetição desprovida de sentimentos sinceros e a hipocrisia que geralmente as acompanham, além dos perus e panetones, para as mensagens natalinas e de fim de ano, fica no ar uma dúvida hamletiana para toda a sociedade brasileira nos dias que correm: como desejar a alguém um feliz natal e um próspero ano novo? Ser ou não ser?

Claro: aviso que estou me dirigindo a seres humanos de verdade.
Continuar lendo

Reforma trabalhista que ia criar vagas demole 12 mil empregos no primeiro mês de vigência


:: Viomundo em 27/12/2017 19:54 ::

reforma-trabalhista-2.jpg

Brasil fecha 12.292 vagas formais após a reforma trabalhista

Marcela Ayres, no Terra

O Brasil perdeu 12.292 vagas formais de emprego em novembro, período em que os efeitos da reforma trabalhista já estavam em vigor, quebrando uma série de sete resultados positivos, segundo o Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgado nesta quarta-feira pelo Ministério do Trabalho.

O dado frustrou expectativa de abertura de 22 mil postos, de acordo com pesquisa Reuters junto a analistas, mas foi melhor em relação ao mesmo período do ano passado, quando foram encerradas 116.747 vagas.

Dos oito setores pesquisados, sete registraram saldo negativo em novembro, com destaque para indústria da transformação (menos 29.006 postos), construção civil (menos 22.826) e agropecuária (menos 21.761).

Apenas o comércio ficou no azul com a proximidade das festas de fim de ano, com a criação líquida de 68.602 vagas, mas num movimento insuficiente para levar o resultado geral para o campo positivo.

Em apresentação, o ministério do Trabalho argumentou que a indústria já começa a demitir nesta altura do ano num cenário em que “todas as encomendas já foram atendidas”.

Em relação à construção civil, disse que o setor é marcado por paralisação de obras em função do período de chuvas.

Pela série histórica do próprio Caged, que tem início em 2002, houve perdas líquidas de vagas em novembro apenas em 2002 e 2008 — anos marcados pela eleição do presidente Luiz Inácio Lula da Silva e crise financeira nos Estados Unidos, respectivamente — e em 2015 e 2016, quando o país viveu a pior recessão da sua história.

Segundo o ministério, foram criadas 3.120 vagas de trabalho intermitente no mês passado, na esteira da reforma trabalhista.

Ao propô-la, o governo do presidente Michel Temer defendeu que as flexibilizações legislativas ajudariam na retomada do emprego.

No acumulado de janeiro a novembro, foram abertas 299.635 vagas, na série com ajustes, contra resultado negativo de 858.333 vagas no mesmo período do ano passado.

No trimestre até outubro, a taxa de desemprego no Brasil caiu a 12,2 por cento, segundo dados mais recentes do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

Com isso, atingiu o nível mais baixo desde o final de 2016, mas com o número de desempregados ainda recuando devido à informalidade.

2018

Para o próximo ano, o ministério do Trabalho estimou a criação de 1.781.930 vagas formais de trabalho, considerando crescimento de 3% do Produto Interno Bruto (PIB), que representa a projeção oficial do governo para a atividade.

Com este avanço, o estoque de empregos voltará ao patamar no primeiro trimestre de 2016, acrescentou a pasta.

Se a economia subir 3,5%, serão criadas 2.002.945 vagas, acrescentou Nogueira.

PS do Viomundo: O ministro do Trabalho Ronaldo Nogueira (PTB-RS) deixou o cargo, mas isso não vai fazer a menor diferença.
Continuar lendo

Cláudio Oliveira: Como Sardenberg e Miriam Leitão venderam ao Brasil a falsa ideia de uma Petrobrás quebrada


:: Viomundo em 27/12/2017 17:46 ::

petro.jpgMarcello Casal Jr/Agência Brasil

Ex-economista da Petrobrás denuncia que é falsa a crise na empresa e que ela foi criada para justificar venda de ativos

Por Davi de Souza, no PetroNotícias

Muito se fala que a situação de caixa da Petrobrás está delicada, o que serve de argumento para que a estatal empreenda uma verdadeira liquidação de ativos, subsidiárias e participações em importantes projetos, numa espécie de privatização branca.

Mas de acordo com o economista aposentado da própria estatal, Cláudio Oliveira, o cenário das finanças da Petrobrás não é nada catastrófico, como vem sendo alardeado nos últimos anos.

“A mentira foi espalhada por todo o Brasil, conquistando a opinião pública, principalmente com o surgimento dos impairments, as perdas geradas pela reavaliação do valor recuperável de ativos, lançados no balanço, causando elevados prejuízos contábeis.
Continuar lendo